Home - Convergência Digital

Inatel produzirá gateway para conexão residencial e IoT

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 12/12/2019

O Inatel vai viabilizar o primeiro projeto do programa prioritário (PPI) em IoT e Manufatura 4.0, coordenado pela EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial). O projeto permitirá a criação de um gateway para aplicação residencial e será conduzido pela Pixel TI, empresa de soluções sem fio do Vale da Eletrônica, e pela Thales Group, empresa francesa que comercializa soluções de conectividade para o setor industrial.
 
Além de apoiar com o aporte financeiro, como Unidade EMBRAPII, o Instituto também vai participar no desenvolvimento desse gateway, contribuindo com o hardware do equipamento, que será de propriedade intelectual do Inatel. Para Sandro Azevedo, gerente de Negócios do Inatel, a parceria com a Pixel TI e a Thales Group entregará ao mercado um produto indispensável para as residências nos próximos anos e isso só seria possível com o apoio técnico do Inatel e financeiro da EMBRAPII.
 
O gateway servirá para conectar diversos dispositivos voltados para automação residencial fabricados pela Pixel TI como sensores de umidade, temperatura e luminosidade, fechadura eletrônica, controle para abertura de portas e janelas, entre outros. A Thales Group contribuirá com a tecnologia NB – IoT (Narrowband IoT), para conectar o gateway à nuvem e permitir o controle dos dispositivos.         
 
Para Claudio Ribeiro, diretor da Pixel TI, a parceria foi fundamental para criação de um gateway com maior capacidade e confiabilidade. “Juntar esforços para o desenvolvimento deste produto é a única forma para atingirmos o mercado com rapidez e alcançarmos o “Time to Market”. As soluções IoT estão entre as mais esperadas pelo mercado e com este desenvolvimento temos certeza que iremos apresentar um equipamento no estado da arte, colocando nossas empresas no patamar de tecnologia e inovação dos principais “players” mundiais”, declara.

O PPI é um mecanismo adicional para as empresas habilitadas pela Lei de Informática cumprirem com os investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I).  No primeiro ano, foram capitados R$ 8 milhões para serão revertidos integralmente projetos de PD&I pela EMBRAPII. O diretor de Planejamento e Gestão da EMBRAPII, José Luis Gordon, destaca que uso de tecnologias digitais é decisivo para o desenvolvimento econômico do país.
 
“A corrida por novas tecnologias está cada vez mais disputada e o mercado tem demandando por produtos e processos mais modernos. A indústria nacional conta com a EMBRAPII para acompanhar as tendências  e aumentar a sua competitividade. Nossas Unidades têm equipes qualificadas e podem ajudar muito as empresas a superarem os desafios tecnológicos que estão aparecendo com uso de soluções de IOT, big data, Inteligência artificial e manufatura 4.0", completou.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

15/04/2020
Internet das Coisas: Quase 30% das empresas sofreram incidentes de segurança

25/03/2020
Brasil contabiliza 19% dos projetos de IoT em produção na América Latina

18/02/2020
Conexão das coisas será quase a metade dos acessos à Internet no Brasil em 2023

14/02/2020
É urgente fazer software inteligentes para avançar Internet das Coisas no Brasil

10/02/2020
Bosch usa o Tinbot, robô brasileiro, para ampliar negócios em IoT

31/01/2020
Financiamento para IoT no BNDES recebe propostas até o dia 07

22/01/2020
Vivo chega a 10 milhões de dispositivos conectados à IoT

16/01/2020
Rede de IoT da American Tower atinge 220 cidades

07/01/2020
O carro será uma Internet das Coisas

18/12/2019
Fazendas da Atto Sementes contratam 4G e IoT da Vivo

Destaques
Destaques

Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

TIM e Claro se posicionam claramente contra a realização do leilão ainda em 2020. A Vivo se mostra mais cautelosa, mas admite que está tudo muito nebuloso por conta da economia e da pandemia de Covid-19. Todas asseguram que o momento ainda é de muito investimento no 4G e no 4,5G.

Operadoras pedem que edital do 5G traga compromissos na nova tecnologia

Mas Anatel lembra que reduzir preço das frequências para exigir investimentos que o mercado já faria naturalmente não faz sentido na licitação. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Para além da guerra da saúde pública, não adiem o leilão do 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

O setor de telecomunicações tem suportado a sobrecarga derivada da pandemia de Covid-19. Mas, reforcem essas redes com tecnologia mais avançada para prover serviços de baixa latência. Dessa forma, não se postergue o leilão das redes ditas de quinta geração (5G) e atenção à segurança cibernética.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site