TELECOM

Vogel Telecom entra na disputa pelo mercado de atacado e redes neutras

Por Roberta Prescott e Rafael Mariano ... 18/11/2019 ... Convergência Digital

Fundada em 2014 tendo como acionista controlador o Patria, a Vogel Telecom nasceu com a visão de atender ao mercado de atacado, já tem uma rede de 24 mil quilômetros e vê uma demanda é cada vez maior por dados. "Vemos muitas oportunidades de crescimento, seja organicamente no negócio de B2B no atacado, seja nos novos modelos de redes neutras", afirmou Daniel Cardoso, COO da empresa.

 A rede da companhia foi herdada das quatro aquisições da Vogel. Tem cobertura nacional, mas com presença maior nas regiões Sudeste e Sul. "Tão importante quanto o backbone e a capilaridade é a rede que conecta os principais datacenters do Brasil", disse Cardoso, acrescentando que a prioridade é garantir que a infraestrutura existente continue evoluindo e atendendo às necessidades dos clientes. 

Conforme explicou, a visão estratégica da operadora tem como pano de fundo a ideia de que o aumento de tráfego de internet seguirá crescendo. "A digitalização é uma tendência inescapável", destacou o executivo ao participar do XII Seminário Telcomp, realizado na última terça-feira 12/11, em São Paulo.  A construção da empresa teve como base a visão de que o aumento da demanda por dados, seja fixo ou móvel, impacta diretamente na necessidade por infraestruturas.

"Em um país do tamanho do Brasil ninguém consegue construir as redes necessárias sozinho. Vemos uma oportunidade de mercado de ajudar a construção de infraestrutura para atender à demanda dos clientes finais e também dos participantes da indústria, como outras operadoras grandes e pequenas, através de um modelo de redes neutras e compartilhadas.Eeste ano foi o ano da criação desta visão e de criar uma plataforma que agora nos permite olhar para o mercado e crescer, atendendo aos nossos clientes", detalhou o executivo.

Questionado sobre a possibilidade de a Vogel fazer aquisições, Cardoso disse que o crescimento inorgânico é importante dentro da estratégia da companhia, principalmente, para evitar se de construir redes sobrepostas. "Se tem ativos na geografia, eu prefiro trazê-los para dentro de casa, obviamente, no preço correto, do que ter de construir uma nova rede. O crescimento inorgânico faz sentido e estamos sempre olhando", afirmou. Outro ponto que deve nortear o crescimento da Vogel é a implantação das redes de quinta geração. "5G nos interessa menos como espectro e mais como gerador de demanda para as minhas redes." Assista à entrevista na íntegra:


Internet Móvel 3G 4G
CCR Barcas e Visa fazem piloto de pagamento por aproximação (NFC) nas barcas do Rio

Experiência - onde o passageiro não precisa mais comprar ou recarregar um bilhete específico e a cobrança do valor acontece na fatura do cartão - chega primeiro às estações Araribóia e Praça XV.

Oi quer corte de dívida com Anatel por desequilíbrio na concessão

“Tem que fazer um PGMU mais leve para que a gente possa respirar”, defende a diretora regulatória, Adriana Costa. Anatel esclarece que concessão não é sinônimo de lucro garantido. 

Huawei defende reserva de 500 MHz da faixa de 6GHz para as teles

Para o diretor da Huawei Brasil, Carlos Lauria, a reserva técnica é a melhor garantia para aguardar a evolução da tecnologia. "Se der tudo agora, não tem como voltar atrás depois", observa o executivo.

Qualcomm defende faixa de 6GHz para não licenciados atenta ao 5G

Diretor da Qualcomm, Francisco Soares, espera que a Anatel se defina por dar os 1,2GHz para os serviços licenciados. "O 6GHz não licenciado será o complemento ideal para os serviços licenciados 5G", sustenta.

Anatel define se faixa de 6GHz será 100% não licenciada ou terá 500 MHz para as teles

"A área técnica recomendou o uso para não-licenciado", contou o superintendente da Anatel, Vinicius Caram, ao participar do eForum Wi-Fi 6, realizado pelo Convergência Digital e pela Network Eventos.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G