GOVERNO

Senado aprova acordo com EUA para uso da base de Alcântara

Luís Osvaldo Grossmann* ... 13/11/2019 ... Convergência Digital

O Senado aprovou na noite de terça, 12/11, o acordo que permite a participação dos Estados Unidos em lançamentos a partir do Centro Espacial de Alcântara, no Maranhão. O texto, que havia sido aprovado pela manhã na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, não necessita da sanção presidencial e será promulgado.

O Projeto de Decreto Legislativo 523/2019 ratifica o texto do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas entre o Brasil e os Estados Unidos, assinado em Washington, em 18 de março de 2019. As negociações foram conduzidas pelos Ministérios das Relações Exteriores, da Defesa e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Ou seja, o que foi firmado com o governo dos Estados Unidos é um acordo de salvaguardas tecnológicas. Por ele, os EUA autorizam que sejam lançados do Brasil foguetes que contenham componentes americanos. Em troca, o Brasil garante que a tecnologia americana não será acessada. Segundo o ministro Marcos Pontes, esse acordo “é fundamental para o uso comercial da base porque 80% das partes dos artefatos lançados ao espaço, dos EUA ou não, têm tecnologia americana”. 

Ao Congresso Nacional o MCTIC indicou que o Brasil poderia ficar com 1% de um  mercado global estimado em US$ 350 bilhões. Seriam, portanto, US$ 3,5 bilhões por ano para o programa espacial brasileiro e para as comunidades que vivem próximas à base. Mas essa é uma estimativa inflada. O que vale US$ 350 bilhões por ano é todo o mercado aeroespacial – do qual o mercado de lançamentos representa apenas 2%. Ficar com 1% daquele total, portanto, é abocanhar metade do mercado mundial de lançamentos.

* Com informações da Agência Senado


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Coronavírus: Senado faz primeira votação a distância da história

Os senadores votaram de suas casas onde cumprem quarentena por causa do Covid-19 e aprovaram a decretação do estado de calamidade pública como forma de combate ao Covid-19.

Telebras projeta receita bruta de R$ 383,64 milhões em 2020

Na lista de venda do governo Bolsonaro, a estatal diz que o montante é uma mera previsão, uma vez que não há garantia de desempenho futuro. Em 2018, a receita líquida da Telebras ficou em R$ 199 milhões – foram R$ 73 milhões em 2017.

Relatora da nova lei das teles assume presidência da CCT no Senado

Daniella Ribeiro (PP-PB), que manteve sem alterações o projeto que se tornou a Lei 13.879/19, foi indicada pelo partido depois que o atual presidente da comissão, Vanderlan Cardoso, migrou para o PSD. "Depois do PLC 79, o que vier está fácil", disse a nova presidente. 5G está na pauta dos debates.

PGR: Há razão legal para STF julgar privatização de Serpro, Dataprev e Telebras

A Procuradoria Geral da República, em parecer dado para a ação do PDT contra a privatização das estatais de TI, admite que a inclusão delas no Plano Nacional de desestatização abre procedente para julgamento na Suprema Corte.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G