Home - Convergência Digital

5G já trouxe aumento de receitas para as operadoras

Luís Osvaldo Grossmann - 07/11/2019

O 5G avança mais rapidamente do que o 4G, como mostram os sinais vindos especialmente da Coreia do Sul, país pioneiro nas ofertas comerciais baseadas no aumento de capacidade da nova onda tecnológica. Como demonstrou durante o Workshop 5G, realizado no dia 05 de novembro, em Brasília, com organização da Network Eventos,  o diretor de soluções da Huawei, Carlos Roseiro, seis meses depois já foi possível verificar ganhos no faturamento das operadoras. 

“O que a gente vê são casos mundo à fora, tanto para consumidor pessoa física, residencial e corporativo. O mais adiantado é o caso da Coreia, onde as operadoras estão com boas experiências. Significa que o 5G com maior banda e menor latência, conseguem oferecer serviços com experiências transformadoras. Então realidade virtual, estádios com visão 360 graus, faz com que usuários queiram ter esse tipo de serviço. Estão dispostos a pagar mais por isso? Sim”, destacou Roseiro. Pacotes começam por volta do equivalente a R$ 200. O raciocínio é que o preço aumentou em cerca de 36%, mas para um volume de dados 16 vezes maior. 

Como defendeu o diretor de soluções da Huawei, “a fórmula ganha-ganha é que as operadoras cobram um pouco mais pelo 5G, mas entregam muitíssimo mais dados e velocidade. Na Coreia são mais de 3,5 milhões de clientes em seis meses. Sendo que 1 milhão assinou pacotes de valor agregado, realidade virtual. Portanto um terço já passou para esses pacotes. Como resultado, em apenas um trimestre as operadoras aumentaram as receitas em 2%.”

A flexibilidade do 5G também indica casos de uso para conexões residenciais, com as novas redes fazendo vez de fibra óptica onde essa instalação é mais complexa. Mas o maior potencial de faturamento e novos negócios tende a ser as aplicações industriais baseadas em baixa latência. 

“Sem dúvida o uso industrial é grande transformação que o 5G vai permitir. Talvez não seja o primeiro caso de uso, mas será o maior e realmente transformador da sociedade. Mas ainda está mais incipiente que os ofertas de consumo. Vemos muitos testes, demonstrações que indicam que melhora a eficiência. É um bom investimento para as operadoras, porque as empresas vão querer aumentar sua eficiência e estarão dispostas a pagar por isso.” Assista a entrevista com Carlos Roseiro, da Huawei.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

02/07/2020
Faixa de 1,5 GHz também pode ser destinada ao 5G para uso privado

02/07/2020
Claro traz 5G com compartilhamento de frequência para o Brasil

30/06/2020
Vivo e TIM avançam com OpenRAN para 'quebrar' concentração dos fornecedores

30/06/2020
Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

29/06/2020
Vodafone: 5G é o remédio para combater o impacto da Covid-19

25/06/2020
Covid-19 impôs revisão dos projetos 5G na América Latina

23/06/2020
Huawei: Brasil sempre teve um mercado aberto e justo no setor de TIC

19/06/2020
CEO da Algar: Banir fornecedor do 5G seria um tremendo equívoco

18/06/2020
Aumento de espectro para 5G está em consulta pública

17/06/2020
Qualcomm leva 5G para smartphones de baixo custo

Destaques
Destaques

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Oi Móvel terá um 'único' dono e Oi não se exclui do jogo do 5G

O CEO da Oi, Rodrigo Abreu, descartou a possibilidade de vender a Oi Móvel 'fatiada' para atender aos interessados: Vivo/TIM e Claro. "Sem chance. O ativo será vendido todo", disse. Sobre o 5G, diz que dependendo do modelo de venda, a Oi entra pensando em B2B, IoT e até para ser MVNO.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site