Home - Convergência Digital

Ericsson: entretenimento acelera a monetização do 5G

Ana Paula Lobo e Fábio dos Santos - 05/11/2019

O entretenimento é um dos aceleradores para se encontrar o melhor modelo de monetização para o 5G, assegura Georgia Sbrana, vice-presidente de Marketing, Comunicação, Inovação, Relações Institucionais e Governo para o Cone Sul da América Latina da Ericsson.

No Futurecom 2019, realizado de 28 a 31 de outubro, em São Paulo, a fabricante mostrou ao público que a nova tecnologia móvel vai muito além de smartphones mais velozes. Por meio de jogos e de uma banda conectada, com músicos em locais distintos, a Ericsson mostrou como o 5G amplifica e assegura a melhor performance para o consumidor.

"Monetizar o 5G é uma missão do ecossistema, e nós estamos mostrando que há aplicações muito próximas de nós", destacou Georgia Sbrana. Assista à entrevista com a VP de Marketing da Ericsson América Latina.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

11/11/2019
SAP Brasil: quem tem de cuidar dos dados são as empresas

11/11/2019
TS Shara: variação da energia no Brasil é risco para o mundo hiperconectado

11/11/2019
B2B terá papel estratégico no fomento do 5G no Brasil

07/11/2019
Ser humano faz a Aura,da Vivo, ser uma IA diferente

07/11/2019
Orquestração de rede 5G é prioridade da Ciena

07/11/2019
American Tower: "Seguimos olhando todo ativo compartilhável"

06/11/2019
NEC quer jogar o 'jogo' do 5G e entrar numa PPP para cidades inteligentes

06/11/2019
5G não vai funcionar num estalar de dedos

05/11/2019
Ericsson: entretenimento acelera a monetização do 5G

05/11/2019
Dell: o chamado para o Brasil é investir agora no edge computing

Destaques
Destaques

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Oi Móvel terá um 'único' dono e Oi não se exclui do jogo do 5G

O CEO da Oi, Rodrigo Abreu, descartou a possibilidade de vender a Oi Móvel 'fatiada' para atender aos interessados: Vivo/TIM e Claro. "Sem chance. O ativo será vendido todo", disse. Sobre o 5G, diz que dependendo do modelo de venda, a Oi entra pensando em B2B, IoT e até para ser MVNO.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site