Convergência Digital - Home

Embratel projeta 16 micro datacenters para edge computing

Convergência Digital
Por Fábio Barros e Carlos Afonso - 04/11/2019

O edge computing - computação de borda - desponta como uma porta de entrada para suportar os dados que virão com  o 5G. Informações do mercado citam que, até 2023,  73% dos dados móveis serão baseados em conteúdo de vídeo e haverá 30 bilhões de dispositivos conectados pelo mundo. O tema foi debatido no Futurecom 2019, que aconteceu de 28 a 31 de outubro, em São Paulo.

Uma das operadoras que mais se prepara para o edge computing é a Embratel, que mantém datacenters tradicionais no País, mas já possui três micro datacenters e planeja chegar a 16, o mais rápido possível. A gerente de Desenvolvimento de Produtos da companhia, Diuliana França,  explicou que a aposta das empresas se dá por conta da demanda do mercado. Ela lembrou que, hoje, 91% dos dados são processados de forma centralizada em datacenters tradicionais. No entanto, até 2022, a previsão é de que 75% dos dados deverão ser processados na origem, ou seja, em micro datacenters, porque aplicações de IA e IoT, por exemplo, exigirão respostas autônomas e mais inteligentes.

“A variável latência vai ganhar relevância por causa desse tipo de aplicação e por isso vamos precisar desse tipo de entrega”, afirmou. Diuliana disse que, neste contexto, a Embratel pretende tirar proveito de sua rede e de sua capilaridade nacional para desenvolver sua própria rede de micro datacenters. A estas estruturas, a companhia pretende agregar armazenamento e inteligência. Para Diuliana França, da mesma forma que a computação em nuvem alavancou a transformação digital, a Internet das Coisas será estimulada pelo edge computing. “Ele vai fazer com que este mercado seja fomentado e que a inteligência das coisas se torne realidade.” Assistam à entrevista com Diuliana França, da Embratel.


Recrutadores e a dura tarefa de contratar cientistas de dados

O maior gargalo é encontrar profissionais adequados às demandas das empresas e o Brasil, hoje, é um exportador de talentos para outros países.

Destaques
Destaques

Metade das empresas no Brasil não confia na própria análise dos dados

Levantamento da Serasa Experian mostra ainda que 42% das companhias brasileiras admitem perder dinheiro com a má qualidade das informações. Má governança é vista como um desafio a ser superado. O mais grave: mais de 70% destão sem estratégia para superar essa etapa.

Dataprev vai comprar Inteligência Artificial e exige uso da nuvem pública

Estatal de TI não revela o montante a ser pago, mas diz que contrato será de 24 meses e inclui capacitação técnica dos funcionários, no modelo de serviços por demanda. Propostas devem ser enviadas até o dia 20 de julho.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Transformação digital exige eficiência no gerenciamento

Por Luiz Fernando Souza*

Prevenir é sempre melhor do que remediar. Essa é uma máxima que precisa ser aplicada à transformação digital, e vale quando falamos da gestão dos servidores. E as razões são simples: é menos sofrido, menos dolorido e mais barato manter uma rotina de trabalho focada na manutenção, preservando com inteligência dados e sistemas.

Jornada para a nuvem: evite as armadilhas e faça a coisa certa

Por Fábio Kuhl*

Até bem pouco tempo, a nuvem era inovação, hoje me arrisco a dizer que, em breve, uma commodity.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site