Home - Convergência Digital

eSocial orienta como preencher dados da Carteira de Trabalho Digital

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann - 31/10/2019

A secretaria especial de previdência e trabalho publicou nesta quinta, 31/10, uma nova portaria (1.065/19) que disciplina o registro e as anotações da Carteira de Trabalho Digital por meio do sistema de escrituração digital de obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas, o eSocial.  

Entre elas, a portaria adota regras de transição até que a nova versão simplificada do eSocial seja implantada, reduzindo os dados que precisam ser alimentados no sistema no que diz respeito às informações a serem prestadas até o dia anterior ao início das atividades do trabalhador. 

A norma prevê, ainda, que o eSocial deverá ser alimentado com as informações relativas aos contratos de trabalho em vigor na data da publicação da nova portaria, 31/10 portanto, no prazo de 90 dias a contar: 

“a) do início de vigência desta portaria para os empregadores já obrigados ao envio das informações cadastrais dos empregados ao eSocial;

b) do início da obrigatoriedade do envio das informações cadastrais dos empregados ao eSocial para os demais empregadores”. 

Uma das medidas da simplificação é a não exigência de informações relativas a documentos pessoais dos trabalhadores. Já na versão atual do leiaute, os dados serão meramente opcionais. Na versão final da simplificação, essas informações deixarão de ser exigidas. E o CPF passou a ser o identificador do empregado. 

Adicionalmente, a gestão do eSocial orienta como fica o preenchimento do grupo CTPS no eSocial, que aparece nos eventos de admissão (S-2200), início de TSVE (S-2300) e alteração de dados cadastrais (S-2205). Esse preenchimento deve ser de acordo com os seguintes critérios:

1) Web Service - Versão em produção 2.5 - grupo de preenchimento opcional: Não é necessário preencher esse grupo no ambiente de Web Service. Caso o empregador opte por informar, seguir as orientações relativas ao ambiente web simplificado; 

2) Módulos Web Simplificados - preenchimento obrigatório: Nos módulos web simplificados, ainda é necessário informar os dados da CTPS, para fins de preenchimento automático de documentos que o exigem (por exemplo, TRCT). Se o trabalhador possuir CTPS em papel, preencha com os dados da CTPS (número, série e UF). Se não possuir, preencha o campo Número da CTPS com os primeiros 7 dígitos do CPF e o campo Série, com os 4 dígitos restantes. O campo UF poderá ser preenchido com a UF da residência do trabalhador ou do estabelecimento/residência do empregador; 

Na versão final de simplificação, o grupo deixa de existir e portanto não será necessário prestar nenhuma informação. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

29/11/2019
eSocial absorve ‘Contrato Verde e Amarelo’, questionado no STF

27/11/2019
eSocial contabiliza mais de 39 milhões de trabalhadores cadastrados

12/11/2019
eSocial adota novas ferramentas no módulo do empregador doméstico

31/10/2019
eSocial orienta como preencher dados da Carteira de Trabalho Digital

15/10/2019
eSocial incorpora CAGED e RAIS a partir de janeiro de 2020

08/10/2019
eSocial: Governo sustenta data de 11 de novembro para colocar ambiente em produção

08/10/2019
Receita insiste em racha com Portaria para novo eSocial

27/09/2019
Receita Federal briga com eSocial e azeda clima no mercado

27/09/2019
Receita quer plataforma exclusiva com dados do eSocial

24/09/2019
Carteira de Trabalho digital adota CPF para identificar trabalhador

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

Por Breno Santos*

A transformação digital ainda é um desafio para muitas empresas no Brasil e a aplicação estratégica das novas soluções deve acontecer por meio de equipamentos e mão de obra qualificada.

Destaques
Destaques

Negócios na nuvem vão gerar 491 mil empregos diretos no Brasil até 2024

A batizada, 'economia Salesforce', formada pelo ecossistema de parceiros e clientes da companhia, vai gerar nos próximos seis anos, 780 mil empregos indiretos e uma receita de R$ 247 bilhões em novos negócios. Transformação digital será responsável por 50% dos gastos com software e computação em nuvem.

Cientista de Dados, desenvolvedor, CTO e analista de segurança da Informação são os mais procurados em TI

Essa é a constatação do Guia Salarial 2020, produzido pela consultoria Robert Half, com atenção às pequenas, médias e grandes empresas. Cientista de Dados pode ter salário inicial em torno de R$ 13 mil nas pequenas empresas e de R$ 26 mil nas grandes corporações.

Informação sigilosa pelo WhatsApp caracteriza justa causa para demissão

Mesmo com estabilidade provisória como cipeiros, Tribunal Superior do Trabalho deu validade à dispensa de três empregados que divulgaram nomes de futuros demitidos pelo app de mensagens. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site