Home - Convergência Digital

Satélites x 5G: GSMA sobe o tom em defesa da nova geração nas ondas milimétricas

Convergência Digital - 07/10/2019

Serviços 5G vão gerar uma expansão econômica de US$ 20,8 bilhões, ou 1,2% de crescimento do PIB na América Latina até 2034. É o que indica um estudo da GSMA, que associa esse desempenho da economia digital à disponibilidade das radiofrequências necessárias, incluindo ondas milimétricas. A entidade reclama que restrições defendidas pela indústria de satélite “colocam o futuro do 5G em risco”.

"A América Latina deve permanecer firme na WRC-19 para proteger seus interesses e garantir seu futuro digital", disse Lucas Gallitto, diretor de Políticas Públicas da GSMA para a América Latina. “A tecnologia 5G será um passo evolutivo com um impacto revolucionário, e causará um efeito mais profundo em nossas vidas do que qualquer geração móvel anterior. As operadoras móveis continuam expandindo as conexões 4G em toda a região, e agora é a hora dos governos da América Latina estabelecerem as bases para o seu futuro em 5G, identificando o espectro necessário na CMR-19.”

Trata-se da próxima Conferência Mundial de Radiocomunicações, que acontecerá no Egito, de 28 de outubro a 22 de novembro deste 2019, na qual serão identificadas faixas de frequências para o 5G. Segundo a GSMA, os países europeus estariam “determinados a limitar o uso desse espectro devido a alegações infundadas de possível interferência nos serviços espaciais”. 

“Estudos técnicos independentes, apoiados por países da América Latina e seus aliados na América do Norte, África e Oriente Médio, demonstraram que o 5G pode coexistir de forma segura e eficiente com serviços meteorológicos, serviços comerciais por satélite e outros”, diz a GSMA. 

As projeções indicam que conexões 5G atinjam 62 milhões até 2025, equivalente a 8% do total de conexões da América Latina, puxadas pelo Brasil, que deverá contar com 26 milhões de acessos 5G até lá. Em seguida, segundo a GSMA, os maiores mercados 5G estarão no México, com 18 milhões, e no Peru, com 4 milhões de conexões.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

30/06/2020
Vivo e TIM avançam com OpenRAN para 'quebrar' concentração dos fornecedores

30/06/2020
Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

29/06/2020
Vodafone: 5G é o remédio para combater o impacto da Covid-19

25/06/2020
Covid-19 impôs revisão dos projetos 5G na América Latina

23/06/2020
Huawei: Brasil sempre teve um mercado aberto e justo no setor de TIC

19/06/2020
CEO da Algar: Banir fornecedor do 5G seria um tremendo equívoco

18/06/2020
Aumento de espectro para 5G está em consulta pública

17/06/2020
Qualcomm leva 5G para smartphones de baixo custo

17/06/2020
5G é agenda prioritária para novo ministro das Comunicações

16/06/2020
Rodrigo Maia:"é melhor deixar a política de fora do leilão 5G"

Destaques
Destaques

Oi Móvel terá um 'único' dono e Oi não se exclui do jogo do 5G

O CEO da Oi, Rodrigo Abreu, descartou a possibilidade de vender a Oi Móvel 'fatiada' para atender aos interessados: Vivo/TIM e Claro. "Sem chance. O ativo será vendido todo", disse. Sobre o 5G, diz que dependendo do modelo de venda, a Oi entra pensando em B2B, IoT e até para ser MVNO.

Regulamentação de IoT passa por tratar a coleta e a proteção dos dados

De acordo com a KPMG, será preciso ainda cuidar da avaliação de riscos, governança, gestão da configuração e gestão da cadeia de suprimentos.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site