TELECOM

Fibra óptica dispara e já atende 25% da banda larga no Brasil

Luís Osvaldo Grossmann ... 01/10/2019 ... Convergência Digital

O acesso à internet no Brasil cresce diretamente associado à expansão das redes de fibra óptica, cujo avanço responde com folga por todo o crescimento da conectividade e pela gradativa substituição do cobre. Segundo os dados mais recentes da Anatel, em agosto a fibra já respondia por 25,9% dos acessos fixos à internet, somando 8,4 milhões das 32,5 milhões de conexões no país. 

O ritmo é forte. Um ano antes, as conexões de fibra eram 15%, terminaram 2018 respondendo por 18% e agora são mais de um quarto do total. Não por menos, o crescimento do número de conexões com fibra foi de 2,7 milhões entre janeiro e agosto – para uma adição líquida total de apenas 1,2 milhão. A diferença é quase toda explicada pela redução no número de acessos xDSL, que eram 41% do total há 12 meses e encerraram agosto em 32%. 

A infraestrutura ajuda a explicar também os aumentos na velocidade média das conexões. Os dados mais recentes indicam que as velocidades acima de 34 Mbps estão se tornando regra. Elas eram 26% do total quando 2019 começou, mas passaram os acessos de 2 a 12 Mbps, que eram então 31% do total. Agora, planos acima de 34 Mbps estão em 35% dos acessos, enquanto caíram para 27%. 

Os dados também apontam que esse movimento todo é puxado pelos provedores de pequeno porte – assim consideradas as empresas com menos de 5% do mercado total. Juntos, os pequenos passaram a responder por 25% de todas as conexões fixas à internet no Brasil, segundo os números de agosto, contra os 20% que tinham no fim de 2018. 

Os pequenos parecem estar avançando sobre parte do mercado das grandes. Enquanto a participação desse grupo subiu 5 pontos percentuais nos oito primeiros meses do ano, a Oi recuou de 19,1% para 17,4%, a Vivo de 24,2% para 22,4% e até a Claro/Net, líder isolada, chegou ao fim de agosto com fatia levemente menor que janeiro, de 29,9% para 29,3%. 


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Aloo Telecom: Brasil precisa de um cadastro único de redes de fibra ótica

O crescimento das redes de fibra ótica é desorganizado e faltam informações disponíveis para definir onde investir e maximizar os recursos, afirma o CEO da operadora, Felipe Cansanção. Aloo Telecom analisa a participação no leilão 5G. "Nunca se vendeu tanta capacidade de espectro", adiciona o CEO.

Ufinet, da Enel, entra no mercado de rede neutra no Brasil

Chairman da empresa, Stefano Lorenzi,  assegura que Ufinet não terá vantagem no uso dos postes por ter a distribuidora elétrica como uma das acionistas. "Vamos competir igual com os outros", diz.

Falta um orquestrador para resolver o conflito do uso dos postes

"Não é falta de lei. Não é falta de resolução. É falta de agenda prioritária. Falta uma orquestração efetiva para se tentar resolver o problema", diz o diretor de estratégia e regulatório da Algar Telecom, Renato Paschoareli.

Abranet: Revisão do marco de telecom tem que abrir espaço para voz no SCM

Entidade diz que a revisão do marco legal de telecom exige uma avaliação do mercado de telefonia no Brasil, com ajustes regulatórios capazes de abrir o segmento aos prestadores de SCM, com recursos de numeração e sistemas de áreas de tarifação nos moldes da telefonia celular.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G