Home - Convergência Digital

TJ da Bahia cria app com IA e biometria para agilizar queixa do consumidor

Convergência Digital* - 27/09/2019

Com o app "Queixa Cidadã" em seu smartphone, o consumidor baiano não precisa mais se dirigir a um Serviço de Atendimento Judiciário, que funciona dentro do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC), para o registro das ações de causas do consumidor. A ferramenta é um projeto-piloto para atender a demandas de serviços essenciais, como abastecimento de água.

Essa possibilidade é resultado do avanço do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) na era digital, que tem por objetivo facilitar o acesso da sociedade à Justiça, com menos burocracia e custos. O "Queixa Cidadã"  vai possibilitar  ao cidadão  registrar queixas nos Juizados Especiais e ainda ingressar com ações de causas do consumidor, com valores de até 20 salários-mínimos, sem a necessidade de advogado.

"Queixa Cidadã" é uma iniciativa da Coordenação dos Juizados Especiais com desenvolvimento em parceria com a Secretaria de Tecnologia da Informação e Modernização do TJBA. Seu objetivo é auxiliar na resolução do alto volume de ações em pequenas causas que sobrecarregam a estrutura do órgão, além de oferecer mais comodidade ao cidadão. A tecnologia poderá ser usada a qualquer hora e lugar.

Segundo o Coordenador dos Juizados Especiais do TJBA, Paulo Chenaud, o aplicativo tem o intuito de garantir o acesso rápido e eficaz à Justiça e atenderá inicialmente a queixas de consumidores da Embasa (Empresa Baiana de Água e Saneamento da Bahia). Posteriormente, a tecnologia poderá ser acessada para reclamações de empresas de fornecimento de energia, planos de saúde e de telefonia.

App de nova geração

Tecnologias emergentes como inteligência artificial (IA) e biometria integraram o desenvolvimento do "Queixa Cidadã", tornando ágil a identificação do usuário por reconhecimento facial e digitais. O secretário de Tecnologia da Informação e Modernização do TJBA, Leandro Sady, destaca que a ferramenta é bastante intuitiva, proporcionando melhor experiência ao consumidor.

Para facilitar ainda mais o seu uso, o cidadão conta com uma assistente virtual, chamada Judi, que dá todas as instruções para o registro de queixas. De acordo com Sady, é possível ajuizar uma ação em apena cinco minutos.

O desenvolvimento do app contou com apoio da Solutis, especializada em projetos de aceleração digital dos seus clientes. Segundo a empresa, o "Queixa Cidadã" é resultado de imersões de um time de experts que atua no TJBA. Eles ajudaram a conceber uma ferramenta com inovação e alinhada aos conceitos de User Experience (UX), favorecendo a usabilidade para proporcionar ar melhor experiência ao cliente. Ambiente Ágil e DevOps possibilitaram entregas e adequações rápidas para o atingimento dos objetivos de maneira assertiva.











Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

12/06/2020
Bolsonaro veta aumento a motoristas de apps

22/05/2020
Aplicativos da Caixa para auxílio emergencial somam 187 milhões de downloads

29/04/2020
Compras por aplicativos crescem 30% com isolamento social

01/04/2020
Senacon ordena cadastramento de apps de transporte, entrega e vendas no Consumidor.gov.br

17/03/2020
Diário Oficial da União ganha versão para smartphones

16/03/2020
Aplicativo Coronavirus SUS registra 340 mil downloads em duas semanas

13/03/2020
99 e Uber vão remunerar motoristas e entregadores diagnosticados com o Coronavírus

12/03/2020
App usa blockchain para fiscalizar transferências de recursos da União

04/03/2020
França decide que motoristas têm vínculo com Uber

17/02/2020
Tribunal de Justiça suspende regulamentação do Uber no Rio de Janeiro

Destaques
Destaques

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Oi Móvel terá um 'único' dono e Oi não se exclui do jogo do 5G

O CEO da Oi, Rodrigo Abreu, descartou a possibilidade de vender a Oi Móvel 'fatiada' para atender aos interessados: Vivo/TIM e Claro. "Sem chance. O ativo será vendido todo", disse. Sobre o 5G, diz que dependendo do modelo de venda, a Oi entra pensando em B2B, IoT e até para ser MVNO.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site