Home - Convergência Digital

TJ da Bahia cria app com IA e biometria para agilizar queixa do consumidor

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 27/09/2019

Com o app "Queixa Cidadã" em seu smartphone, o consumidor baiano não precisa mais se dirigir a um Serviço de Atendimento Judiciário, que funciona dentro do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC), para o registro das ações de causas do consumidor. A ferramenta é um projeto-piloto para atender a demandas de serviços essenciais, como abastecimento de água.

Essa possibilidade é resultado do avanço do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) na era digital, que tem por objetivo facilitar o acesso da sociedade à Justiça, com menos burocracia e custos. O "Queixa Cidadã"  vai possibilitar  ao cidadão  registrar queixas nos Juizados Especiais e ainda ingressar com ações de causas do consumidor, com valores de até 20 salários-mínimos, sem a necessidade de advogado.

"Queixa Cidadã" é uma iniciativa da Coordenação dos Juizados Especiais com desenvolvimento em parceria com a Secretaria de Tecnologia da Informação e Modernização do TJBA. Seu objetivo é auxiliar na resolução do alto volume de ações em pequenas causas que sobrecarregam a estrutura do órgão, além de oferecer mais comodidade ao cidadão. A tecnologia poderá ser usada a qualquer hora e lugar.

Segundo o Coordenador dos Juizados Especiais do TJBA, Paulo Chenaud, o aplicativo tem o intuito de garantir o acesso rápido e eficaz à Justiça e atenderá inicialmente a queixas de consumidores da Embasa (Empresa Baiana de Água e Saneamento da Bahia). Posteriormente, a tecnologia poderá ser acessada para reclamações de empresas de fornecimento de energia, planos de saúde e de telefonia.

App de nova geração

Tecnologias emergentes como inteligência artificial (IA) e biometria integraram o desenvolvimento do "Queixa Cidadã", tornando ágil a identificação do usuário por reconhecimento facial e digitais. O secretário de Tecnologia da Informação e Modernização do TJBA, Leandro Sady, destaca que a ferramenta é bastante intuitiva, proporcionando melhor experiência ao consumidor.

Para facilitar ainda mais o seu uso, o cidadão conta com uma assistente virtual, chamada Judi, que dá todas as instruções para o registro de queixas. De acordo com Sady, é possível ajuizar uma ação em apena cinco minutos.

O desenvolvimento do app contou com apoio da Solutis, especializada em projetos de aceleração digital dos seus clientes. Segundo a empresa, o "Queixa Cidadã" é resultado de imersões de um time de experts que atua no TJBA. Eles ajudaram a conceber uma ferramenta com inovação e alinhada aos conceitos de User Experience (UX), favorecendo a usabilidade para proporcionar ar melhor experiência ao cliente. Ambiente Ágil e DevOps possibilitaram entregas e adequações rápidas para o atingimento dos objetivos de maneira assertiva.











Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

17/02/2020
Tribunal de Justiça suspende regulamentação do Uber no Rio de Janeiro

13/02/2020
Na guerra do streaming, YouTube reina absoluto com 70% da atenção nos celulares

05/02/2020
Turma do TST nega vínculo de emprego entre Uber e motorista

03/02/2020
TJSP: iFood é responsável por furto cometido em entrega

03/02/2020
Fintechs, empresas de internet e consumidores pedem ajustes em regras do Open Banking

30/01/2020
Aplicativo do governo mostra devedores da União e FGTS

24/01/2020
Com apps ecológicos, equipes do Brasil vencem concurso da NASA

16/01/2020
Distrito Federal e Paraná aderem ao Táxigov, o app de transporte do governo

14/01/2020
Distrito Federal proíbe entrada de relógios inteligentes nas prisões

13/01/2020
Startup Grudi cria plataforma de serviços para o mercado imobiliário

Destaques
Destaques

5G exigirá uso de requisitos mínimos de Segurança Cibernética

Tecnologia é apontada como 'uma revolução na comunicação de dados, no potencial de emprego de equipamentos de Internet das Coisas e na prestação de novos e disruptivos serviços".

5G: Diretrizes genéricas deixam espaço para acordo entre teles e TVs

Portaria do MCTIC não detalha qual a solução para interferências, indicando somente “medidas de melhor eficiência técnica e econômica”. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Carro autônomo: decisões baseadas em dados vão evitar acidentes?

Por Rogério Borili *

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site