TELECOM

Sistema S das TICs ganha mais um parecer favorável na CCT da Câmara

Luís Osvaldo Grossmann ... 26/09/2019 ... Convergência Digital

Desarquivado e de volta à tramitação na legislatura iniciada neste 2019, o projeto de lei que cria o Sistema S das TICs ganhou um novo parecer favorável na Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados. Subscrito por 12 deputados de vários partidos, o PL 10.762/18 remaneja para o novo Serviço Social e Serviço de Aprendizagem da Tecnologia da Informação e Comunicação, ou Setic, cerca de R$ 1 bilhão em contribuições anuais das empresas. 

O novo relator do projeto, Alex Santana (PDT-BA), deu novo lustro ao parecer do antecessor, Sandro Alex (PSD-PR), que deixou a CCT com o fim da legislatura passada. Com apenas ajustes de redação, inclusive na única emenda apresentada, defende a aprovação do texto “certos de que a economia digital necessita de novas estruturas de apoio e de desenvolvimento”, conclui no relatório. 

A justificativa da proposição foi mantida quase intocada. “As atuais estruturas de capacitação profissional encontram-se ainda focadas na qualificação de mão de obra para as indústrias tradicionais, importantes ainda, porém vinculadas a outras tecnologias, inerentes a setores e meios de produção seculares. Para esses segmentos, o chamado Sistema S existente é competente. O ambiente inovador das TIC, em contraponto, está voltado para outras necessidades e formas de aprendizagem”, aponta o parecer. 

A proposta prevê que o novo Setic vai se financiar com contribuições compulsórias (2,5% da folha) devidas pelas cerca de 75 mil empresas representadas pela ConTIC, a confederação criada por teles (Febratel) e TI (Fenainfo), juntamente com instaladoras terceirizadas (Feninfra), atualmente recolhidas para os serviços sociais e de aprendizagem da indústria e comércio (Sesi, Senai, Sesc e Senac). 


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Aloo Telecom: Brasil precisa de um cadastro único de redes de fibra ótica

O crescimento das redes de fibra ótica é desorganizado e faltam informações disponíveis para definir onde investir e maximizar os recursos, afirma o CEO da operadora, Felipe Cansanção. Aloo Telecom analisa a participação no leilão 5G. "Nunca se vendeu tanta capacidade de espectro", adiciona o CEO.

Ufinet, da Enel, entra no mercado de rede neutra no Brasil

Chairman da empresa, Stefano Lorenzi,  assegura que Ufinet não terá vantagem no uso dos postes por ter a distribuidora elétrica como uma das acionistas. "Vamos competir igual com os outros", diz.

Falta um orquestrador para resolver o conflito do uso dos postes

"Não é falta de lei. Não é falta de resolução. É falta de agenda prioritária. Falta uma orquestração efetiva para se tentar resolver o problema", diz o diretor de estratégia e regulatório da Algar Telecom, Renato Paschoareli.

Abranet: Revisão do marco de telecom tem que abrir espaço para voz no SCM

Entidade diz que a revisão do marco legal de telecom exige uma avaliação do mercado de telefonia no Brasil, com ajustes regulatórios capazes de abrir o segmento aos prestadores de SCM, com recursos de numeração e sistemas de áreas de tarifação nos moldes da telefonia celular.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G