TELECOM

TelComp: preservar a concorrência é obrigação do novo Marco de Telecom

Ana Paula Lobo e Rodrigo dos Santos ... 24/09/2019 ... Convergência Digital

Passada a fase de aprovação do PLC 79 no Congresso Nacional, a discussão, agora, tem de centrar em como os investimentos prometidos serão feitos, afirma o presidente-executivo da TelComp, João Moura."Não haverá apoio a obrigação a investimentos ineficazes, mas não se pode ter investimentos que já seriam feitos pelas empresas na troca de obrigações e que acabem dando vantagens competitivas. Precisamos saber quanto e como serão feitos esses investimentos de forma transparente", declara o executivo em entrevista à CDTV, do portal Convergência Digital.

Buscar modelos diferentes de atuação, a partir da mudança legal que está por vir, é um dos temas do XII Seminário TelComp 2019, que acontecerá no dia 12 de novembro, em São Paulo. Para João Moura, o momento é o de inovar e de buscar opções para que novos atores entrem no ecossistema. " O compartilhamento dos bens que serão construídos é uma das medidas a serem discutidas, assim como a realização de leilões reversos”, sugere.

Para João Moura, é urgente que órgãos do governo se coordenem em prol de uma política para o desenvolvimento digital. "Não se pode perder tanto tempo como estamos perdendo. O que importa é a fibra funcionando bem para que novos negócios sejam gerados", preconiza.

A plataforma SNOA, sistema eletrônico de “compra” e “venda” de acesso a redes de telecomunicações, criada pela Anatel em 2013, poderia vir a ser um facilitador, mas ela teria de passar por uma reformulação. "A Agência terá de rever as questões de precificação, que simplesmente não estão funcionando", sintetiza o presidente-executivo da TelComp. Assistam a entrevista com João Moura, da TelComp.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Aloo Telecom: Brasil precisa de um cadastro único de redes de fibra ótica

O crescimento das redes de fibra ótica é desorganizado e faltam informações disponíveis para definir onde investir e maximizar os recursos, afirma o CEO da operadora, Felipe Cansanção. Aloo Telecom analisa a participação no leilão 5G. "Nunca se vendeu tanta capacidade de espectro", adiciona o CEO.

Ufinet, da Enel, entra no mercado de rede neutra no Brasil

Chairman da empresa, Stefano Lorenzi,  assegura que Ufinet não terá vantagem no uso dos postes por ter a distribuidora elétrica como uma das acionistas. "Vamos competir igual com os outros", diz.

Falta um orquestrador para resolver o conflito do uso dos postes

"Não é falta de lei. Não é falta de resolução. É falta de agenda prioritária. Falta uma orquestração efetiva para se tentar resolver o problema", diz o diretor de estratégia e regulatório da Algar Telecom, Renato Paschoareli.

Abranet: Revisão do marco de telecom tem que abrir espaço para voz no SCM

Entidade diz que a revisão do marco legal de telecom exige uma avaliação do mercado de telefonia no Brasil, com ajustes regulatórios capazes de abrir o segmento aos prestadores de SCM, com recursos de numeração e sistemas de áreas de tarifação nos moldes da telefonia celular.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G