Convergência Digital - Home

Venda de servidores despenca, mas de rack para datacenters cresce no Brasil

Convergência Digital
Convergência Digital* - 24/09/2019

O mercado de infraestrutura de TI no Brasil teve queda de 18% no segundo trimestre de 2019 e faturou US$ 315, 52 milhões, de acordo com o IDC Brazil Enterprise Infrastructure Q2 2019, estudo da IDC Brasil, divulgado nesta terça-feira, 24/09. "A expectativa em relação à reforma da Previdência travou os investimentos tanto do setor público como do privado. Além disso, grande parte dos  equipamentos é importada e a oscilação do dólar no período adiou investimentos e derrubou os números no período", afirma Luis Altamirano, analista da IDC Brasil.

Dos setores que englobam o mercado de infraestrutura de TI - servidores, armazenamento e redes -, apenas o de redes (roteadores, switches e Wi-Fi corporativo), teve bom desempenho. Nos meses de abril, maio e junho deste ano, segundo o estudo da IDC Brasil, a receita foi de US$ 155,75 milhões, crescimento de 3% em relação aos mesmos meses de 2018, impulsionado pela transformação digital. "As pequenas empresas já nascem digitais, mas as médias e grandes empresas de setores como educacional, hoteleiro, financeiro e de manufatura ainda estão em algum estágio da jornada de transformação para um mundo menos analógico e mais conectado", adiciona Altamirano.

Já o mercado de servidores x86  fechou o segundo trimestre de 2019 com receita de US$ 110,38 milhões e queda de 26%, bem diferente do registrado no segundo trimestre de 2018, quando o segmento teve alta de 66%. No entanto, o analista da IDC reforça que não foi o segundo trimestre deste ano que teve um desempenho muito baixo e, sim, o mesmo período do ano passado que teve uma performance surpreendente."Normalmente, os últimos três meses do ano são os melhores em termos de investimentos em servidores, mas em 2018, por conta das eleições, as compras foram antecipadas", observa Altamirano. O estudo da IDC concluiu também que, em abril, maio e junho, as máquinas racks para datacenters foram as mais vendidas.

Ao completar o panorama do mercado de infraestrutura de TI, o estudo indicou que o setor de armazenamento externo faturou US$ 49,39 milhões, queda de 42% em relação ao mesmo período de 2018. Os dados refletem um comportamento que já vem sendo observado, com equipamentos de médio porte ganhando o mercado em relação ao segmento high-end. Em 2019, a IDC Brasil prevê queda de 11% na receita do setor de servidores e de 14% no de armazenamento externo. Já o de redes deve continuar crescendo, registrar alta de 6% e contribuir para o mercado de infraestrutura fechar o ano com queda de 5%.

Em termos de representatividade dos mercados, redes terá 47%, servidores 34%, e armazenamento externo 19% de participação. Para 2020, a IDC prevê alta de 2% no mercado de infraestrutura. "Teremos uma diretriz melhor em relação ao cenário político-econômico que tem reflexo no setor público e privado. No ano que vem se espera um maior investimento de setores não tradicionais de TI, como o da saúde, educação e comércio", finaliza.


Destaques
Destaques

Governo negocia para transformar Foz do Iguaçu em zona franca para datacenters

O secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Elisio de Menezes, conta que negocia a incorporação dos datacenters em uma classe especial para consumo de energia, ativo que mais encarece as operações no Brasil.

Para OCDE, a transformação digital está no topo da agenda global

Brasil ainda precisa superar o desafio da inclusão digital, afirma o diretor da entidade para América Latina, Roberto Martínez Yllescas.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.

Edge Computing para acelerar os negócios das empresas brasileiras

Por Henrique Cecci*

O que é, afinal, Edge Computing? Trata-se da aplicação de soluções que facilitam o processamento de dados diretamente na fonte de geração de dados. No contexto da Internet das Coisas (IoT), por exemplo, as fontes de geração de dados geralmente são "coisas" com sensores ou dispositivos incorporados.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site