Clicky

SEGURANÇA

Crimes cibernéticos: Brasil é passível de represália por não assinar Convenção de Budapeste

Ana Paula Lobo e Pedro Costa, do Rio de Janeiro ... 20/09/2019 ... Convergência Digital

O Brasil erra, e muito, ao não ser signatário da Convenção de Budapeste, que trata globalmente dos crimes cibernéticos, observa o consultor de Segurança Cibernética e professor da pós-graduação de Segurança Cibernétia da UniCarioca, Guilherme Neves. À CDTV, do portal Convergência Digital, durante o Rio Info 2019, realizado nos dias 16 e 17 de setembro, no Rio de Janeiro, o especialista foi taxativo: o Brasil sofre sério risco de represálias e pode ser punido mais à frente por países mais avançados no tema.

"Um tratado global é essencial para a proteção cibernética. O Brasil precisa assinar o quanto antes", observa Guilherme Neves. O especialista fala ainda das simulações que estão sendo feitas no Laboratório Nacional de Defesa Cibernética, localizado no Instituto Militar de Engenharia, no Rio de Janeiro, como simulação de ataques às barragens e as medidas de prevenção.

Quanto às empresas, Guilherme Neves diz que a maior parte ainda esconde os ataques sofridos, mas essa realidade vai mudar com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais. "Doer no bolso é uma medida necessária. Só assim muitos vão entender a necessidade da transparência nessa área", diz. Assistam a entrevista com Guilherme Neves.


Depois de sofrer ataques pesados, CNJ define estratégia de cibersegurança

Relator da política, o presidente do CNJ e do STF, Luiz Fux, destacou que ataques são cada vez mais frequentes e avançados, com alto potencial de prejuízo.

Cidade de São Paulo vai às compras de câmeras públicas

Hoje são cerca de 3500 em atividade e o planejamento é de duplicar esse número na nova licitação, informa Dalmo Álamo, da secretaria municipal de segurança pública da cidade de São Paulo. Os drones também estão fazendo a diferença.

Brasileiros acham um tédio fazer atualização de segurança em PCs e celulares

Tarefa é considerada tediosa para 42%. Sete em cada 10 não veem riscos ao adiar atualizações.

GSI exige orçamento e atualização tecnológica para segurança da informação

Nova instrução normativa manda órgãos federais mapearem ativos de informação e fazerem testes anuais em planos de continuidade para o casos de indisponibilidade de sistemas.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G