Home - Convergência Digital

Vivo quer carro conectado até para não cliente

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 09/09/2019

Os carros conectados acirram a disputa entre as operadoras móveis no Brasil. A Vivo anunciou o Vivo Car, um serviço que transforma automóveis comuns em veículos conectados. Os interessados na novidade podem fazer um pré-cadastro no site vivocar.vivo.com.br, e saber em primeira mão sobre o lançamento, que acontecerá em setembro em todas as lojas da Vivo. O Vivo Car poderá ser contratado por qualquer pessoa, inclusive por aqueles que ainda não são clientes da Vivo.

Quem nunca teve de compartilhar a conexão do celular para as crianças navegarem na internet durante os trajetos? Quem não gostaria de saber quando o manobrista ligou e onde ele estacionou o seu carro? O Vivo Car transforma o automóvel em um hotspot Wi-Fi móvel com 40GB por mês para que todos os passageiros tenham acesso à internet do veículo.

Além disso, o Vivo Car disponibiliza informações em tempo real sobre a saúde do veículo, possíveis falhas mecânicas ou elétricas, planejamento de revisões e alertas de segurança. Todas estas informações também podem ser acessadas por pessoas que compartilham o mesmo carro (desde que devidamente autorizadas pelo assinante Vivo Car). Todos recebem notificações no celular - se o carro foi ligado, desligado, se ultrapassou a velocidade configurada, uma possível colisão ou até mesmo se está sendo rebocado.

No Vivo Car, o cliente conta com o recurso de geolocalização, possibilitando encontrar a posição atual do veículo a qualquer momento. Um recurso de segurança muito interessante para a família é a possibilidade de fixar áreas onde o carro poderá transitar e caso saia da zona pré-definida, todos são notificados. O assinante Vivo Car também receberá ofertas especiais disponíveis nas proximidades do carro. As ofertas serão disponibilizadas por uma rede de parceiros que será ampliada ao longo do tempo.

Como funciona

O Vivo Car é composto por um dispositivo que deve ser conectado na entrada OBD2 (sigla em inglês para On Board Diagnostics) do veículo, presente na maior parte dos modelos nacionais a partir de 2010 e de um aplicativo para celular, que pode ser baixado por clientes de qualquer operadora. A lista de veículos compatíveis estará disponível no site do serviço, no lançamento comercial.

Durante os 12 primeiros meses o plano Vivo Car será gratuito e o dispositivo deverá ser pago à parte, no cartão de crédito, em até 12 parcelas, sem juros. O valor será informado no lançamento comercial do serviço. Para usar o serviço, basta que o cliente conecte o dispositivo à entrada OBD2 de seu carro, baixe o app, faça um cadastro e depois o login, seguindo as orientações recebidas no ato da contratação.

 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

18/05/2020
Vivo tem 130 novas vagas e já contratou 400 durante a Covid-19

15/05/2020
CVM adota regras simplificadas para startups

11/05/2020
Vivo anuncia mais quatro cidades com rede FTTH

06/05/2020
Covid-19 reduz recargas e venda de aparelhos e respinga no lucro da Vivo

06/05/2020
MCTIC cria grupo para avaliar mudanças na Lei do Bem

30/04/2020
Anatel aprova acordo de rede única entre Vivo e TIM

23/04/2020
CADE aprova compartilhamento de rede entre Vivo e TIM sem restrições

16/04/2020
Pesquisa de inovação mostra investimento baixo e falta de política pública

14/04/2020
Uso de dados para medir aglomerações é destaque em programa do Ministério da Economia

02/04/2020
Vivo flexibiliza pagamentos para telefonia fixa, móvel, banda larga e TV por assinatura

Destaques
Destaques

Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

TIM e Claro se posicionam claramente contra a realização do leilão ainda em 2020. A Vivo se mostra mais cautelosa, mas admite que está tudo muito nebuloso por conta da economia e da pandemia de Covid-19. Todas asseguram que o momento ainda é de muito investimento no 4G e no 4,5G.

Operadoras pedem que edital do 5G traga compromissos na nova tecnologia

Mas Anatel lembra que reduzir preço das frequências para exigir investimentos que o mercado já faria naturalmente não faz sentido na licitação. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Para além da guerra da saúde pública, não adiem o leilão do 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

O setor de telecomunicações tem suportado a sobrecarga derivada da pandemia de Covid-19. Mas, reforcem essas redes com tecnologia mais avançada para prover serviços de baixa latência. Dessa forma, não se postergue o leilão das redes ditas de quinta geração (5G) e atenção à segurança cibernética.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site