Clicky

Convergência Digital - Home

Teles fazem prova de conceito com a FICO por tomada de decisão

Convergência Digital
Convergência Digital* - 09/09/2019

Pelo menos duas operadoras móveis estão fazendo prova de conceito com as soluções de análise de dados para tomada de decisão da FICO, especializada no segmento e com presença em todos os grandes bancos brasileiros. A intenção da companhia é anunciar o primeiro contrato na vertical de telecomunicações no Brasil até o final deste ano, revela o gerente regional de vendas da FICO, Igor Castroviejo.

"Não queremos tirar os fornecedores de análise de dados que trabalham com as teles. Nós queremos trabalhar junto. Vamos ser orquestradores para acelerar a tomada de decisão. Se os sistemas não falarem entre si, não há a jornada digital. O dado não vira informação", sustenta o executivo.

Em entrevista ao Convergência Digital, Igor Castroviejo e o diretor da FICO para serviços não financeiros, Fabio Goepfert, asseguram: a FICO não é um banco de dados nem briga nesse tipo de negócio. "Nós entramos para evitar que os silos se proliferem nas empresas na era digital e na era que a experiência do cliente é diferencial de concorrência", resssalta Goepfert.

Uma das apostas da FICO no País é a plataforma Decision Management Platform Streaming, capaz de transformar dados brutos em dados prontos para a decisão em tempo real. A solução já é usada lá fora em operadoras como a T-Mobile. “Acreditamos que há muito espaço aqui no Brasil. São dados de milhões de clientes precisando ser trabalhados”, diz Castroviejo.

O mercado brasileiro tem sido muito relevante para os negócios globais da FICO. E uma área cresce com a transformação digital: a cibersegurança. Tanto é assim que uma seguradora está fazendo uma prova de conceito para identificar proativamente ações de ransomwares. "Cibersegurança é muito estratégica para quem lida com clientes", ressalta Fabio Goepfert.

A entrada em vigor da Lei de Proteção de Dados Pessoais, em agosto de 2020, já mobiliza a busca por soluções de tomada de decisão e promete movimentar o mercado corporativo nos próximos meses. "Nós não temos uma solução específica para a LGPD, mas temos uma visão única dos dados dos clientes em tempo real", adiciona o executivo.

Segurança, de fato, é estratégica para a FICO. Tanto que a empresa recém-comprou a EZMCOM para agregar funcionalidades de segurança às suas soluções, entre elas, a biometria e o reconhecimento facial para reconhecimento de fraude. Os valores da transação não foram revelados.


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Destaques
Destaques

Brasil investe muito pouco em Inteligência Artificial

O aporte previsto no País é de R$ 70 milhões, muito abaixo, por exemplo do que está sendo feito em países como China, Coreia e Espanha, lamentou o consultor de IA, Eduardo Prado, ao participar do 5x5 TecSummit. Ele advertiu que a transformação digital não acontecerá sem que se mexa nas cabeças das pessoas.

AWS: Nuvem reduz custos em 61% e aumenta eficiência da TI em 74%

O diretor geral da AWS Brasil, Cleber Morais, enfatiza que 2020 foi o ano da disparada na transformação digital e destaca que as instituições financeiras da América Latina estão investindo 76% acima do ano passado em IaaS, PaaS e SaaS. 



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O desafio de administrar toda a rede a partir da nuvem

Por Ed Solis*

De acordo com a consultoria Omdia, o mercado de redes gerenciadas em nuvem cresce a uma taxa anual composta de 28,7%, com receitas de equipamentos previstas em US$ 5,5 bilhões

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site