TELECOM

Pré-pago perde 1,13 milhão de linhas em 30 dias. 4G é o carro-chefe do pós-pago

Convergência Digital ... 05/08/2019 ... Convergência Digital

O Brasil registrou 228,39 milhões de linhas móveis em operação em junho, uma redução de 6,69 milhões de unidades (-2,84%) nos últimos 12 meses segundo números divulgados nesta segunda-feira, 05/08, pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Na comparação com o mês de maio, a redução foi de 250,23 mil linhas (-0,11%).

O pré-pago segue sendo o grande afetado pela descontinuidade de linhas. A estratégia das operadoras de concentrarem suas ofertas nos modelos pós-pago traz resultados. Segundo a Anatel, as linhas pós-pagas cresceram seis pontos percentuais em participação de mercado nos últimos 12 meses, totalizando 104,52 milhões em junho de 2019 (45,76% do mercado). Aumento de 11,40 milhões de unidades no período (+12,25%).

Na variação entre maio e junho, as linhas pós-pagas aumentaram em 877,05 mil (+0,85%). Em 12 meses, as linhas pré-pagas registraram 123,87 milhões de unidades em junho, redução de 18,09 milhões (-12,74%). Na variação mensal, as linhas pré-pagas diminuíram 1,13 milhão de unidades (-0,90%). Também cresceram as linhas móveis em 4G, mais 23,66 milhões de unidades (+19,97%) nos últimos 12 meses, totalizando com 142,11 milhões em junho de 2019. Entre maio e junho, elas registraram mais 1,95 milhão de unidades (+1,39%).

As quatro maiores operadoras da telefonia móvel responderam por 97,49% do mercado em junho. A Vivo teve a maior participação no total com 73,74 milhões (32,29%), seguida da Claro com 56,43 milhões (24,71%), TIM com 54,97 milhões (24,07%) e Oi com 37,51 milhões (16,43%). Os dados da Anatel mostram que, últimos 12 meses, todas apresentaram redução no volume de linhas móveis, Vivo menos 1,52 milhões (-2,02%), Claro menos 2,58 milhões (-4,37%), TIM menos 1,58 milhões (-2,80%) e Oi menos 1,35 milhões (-3,47%).

No comparativo de maio para junho, com exceção da Vivo, que registrou aumento de 53,34 mil linhas móveis (+0,07%), as demais reduziram a participação de mercado: Claro menos 49,37 mil (-0,09%), Tim menos 336,64 mil (-0,61%) e Oi menos 50,31 mil (-0,13%).

Na telefonia móvel, entre as prestadoras de pequeno porte, a Nextel registrou 3,49 milhões de linhas (1,53% do mercado) e a Datora totalizou 450,12 mil (0,20%) em junho de 2019. Ambas apresentaram crescimento nos últimos 12 meses, mais 415,49 mil linhas (+13,51%) e mais 204,34 mil (+83,14%) respectivamente, e na variação entre maio e junho, mais 12,31 mil (+0,35%) e mais 11,38 mil (+2,59%).

*Com dados da Anatel


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

PGR:Lei de Santa Catarina que proíbe cobrança de valor adicionado é inconstitucional

“Lei estadual que proíbe a oferta e a cobrança de serviços de valor adicionado pelas prestadoras de serviços de telecomunicações é inconstitucional por usurpação da competência material e legislativa da União”, sustenta o procurador-geral da Repúublica interino, Alcides Martins.

TJ-RJ mantém condenação da Oi em R$ 200 milhões por contrato na área de games

Por não enxergar nulidade no laudo pericial que atestou as perdas e danos sofridas pelo rompimento do contrato de prestação de serviços de jogos eletrônicos, a 20ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, negou o agravo da operadora.

Força-tarefa da Anatel interrompe 25 emissoras clandestinas em São Paulo

Operação estava interferindo no controle de tráfego aéreo do aeroporto de Guarulhos. Também foram desmantelados 20 pontos onde a energia elétrica que alimentava os equipamentos de transmissão era furtada, com apreensão de cerca de uma tonelada de cabos de energia, em conjunto com a distribuidora local.

Prazo para questionar serviço não contratado de telefonia é dez anos

Superior Tribunal de Justiça entendeu que se aplica o artigo 205 do Código Civil. Seguindo o voto do relator, ministro Og Fernandes, a Corte aplicou ao caso o entendimento que resultou na Súmula 412 para as tarifas de água e esgoto.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G