Convergência Digital - Home

"Multicloud traz prejuízo ao bolso e abre vulnerabilidades", alfineta CTO da AWS

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 27/06/2019

O vice-presidente e CTO da Amazon Web Services (AWS), Werner Vogels, não foge dos questionamentos. Ao ser indagado pelo Convergência Digital sobre o impacto das multiclouds - que é a possibilidade de o cliente ter múltiplos fornecedores de serviços na nuvem - o executivo não se fez de rogado. Ele detonou a modalidade.

"Clientes que usam múltiplas nuvens duplicam seus recursos de engenharia, aumentam seus gastos e perdem capacidade de segurança e de melhor uso dos recursos. Não dá para colocar o Banco de Dados em uma nuvem e uma aplicação crítica em outra. Não faz sentido técnico e de custo", disse. "A maior parte dos nossos clientes considerou multicloud, mas, ao final, ficaram com a AWS. Se estabelece uma relação mais próxima com o cliente", acrescentou o executivo.

A Natura, cliente da AWS, é cliente AWS, mas mantém contrato com outros quatro fornecedores de nuvem, contou o vice-presidente de Tecnologia, Fernando Lemos. Sem polemizar, o executivo ponderou que o mais importante é estabelecer uma relação de confiança com o provedor. "Esse é grande ponto da nuvem. Provedor e cliente têm de estar em sintonia", sustentou. A fundadora e CTO da Pismo, uma startup de meios de pagamentos, por sua vez, se mostrou cética com relação à multicloud.

"A solução híbrida é muito bonita no papel, mas no dia a dia ela pode ser de grande complexidade", observou. Já Henrique Hedemann, da Embraer- que recentemente criou o projeto Ikon com a AWS - diz que é agnóstico com relação à tecnologia e está pronto para avaliar provedores de serviços. E aponta um dado relevante para somar a discussão. "Ao fim das contas, são as pessoas que vão lidar com a tecnologia. Elas são o ponto de referência de todo e qualquer aplicação".

Blockchain, 5G e futuro da nuvem

Indagado sobre tendências, o CTO da AWS, Werner Vogels, falou ainda de blockchain. "É uma tecnologia boa, mas que ainda busca oportunidades para se consolidar. Ainda vamos ver como elas vão ficar. Hoje, blockchain está ligada ao mundo das criptomoedas e o mercado quer saber para onde a tecnologia vai andar". Outra forte expectativa é com o 5G. Para o CTO, a nova geração da tecnologia móvel vai, de fato, revolucionar os sistemas, mas Vogels alfineta. "O grande problema é que os sistemas vão precisar funcionar e ter dispositivos que funcionem e hoje esse ecossistema não está azeitado".

No mundo da computação em nuvem, há muito por construir e para conquistar e segurança foi e segue sendo o desafio a ser vencido. "Cada vez mais as empresas vão para a nuvem e ainda há muito espaço para o processamento dos dados. Elas estão confiando seus dados na nuvem. A segurança ganha ainda mais relevância. Nossas pesquisas são para enxergar o que é possível fazer para garantir os dados da empresa, dos clientes", completou Vogels.







Destaques
Destaques

Governo negocia para transformar Foz do Iguaçu em zona franca para datacenters

O secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Elisio de Menezes, conta que negocia a incorporação dos datacenters em uma classe especial para consumo de energia, ativo que mais encarece as operações no Brasil.

Disseminação de serviços em nuvem puxa investimentos globais em TI

Segundo projeções da consultoria Gartner, gastos devem bater em R$ 15 trilhões neste ano e crescer 3,7% em 2020, puxados por cloud computing. 



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Você já pensou no impacto que os seus dados geram no planeta?

Por Gustavo Loiola*

Hoje, são milhares de data centers espalhados pelo Planeta. É engraçado pensar nisso quando hoje falamos da tal da “nuvem" que armazena os nossos dados. Tiramos uma foto? Vai para a nuvem. Postamos no Instagram? Vai para a nuvem. Netflix, Spotify, Deezer? O streaming também está na nuvem.

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site