GESTÃO

Serasa Experian: empresas vão investir mais em tecnologia por dados pessoais

Por Fernanda Ângelo e Ana Paula Lobo ... 12/06/2019 ... Convergência Digital

As instituições financeiras são as que mais inspiram confiança nos consumidores digitais no Brasil. Este é um dos resultados apontados pela pesquisa Global Identity and Fraud Report, divulgada nesta quarta-feira (12/06) pela Serasa Experian, durante o CIAB Febraban 2019.

De acordo com o levantamento, o segmento de bancos e seguradoras foi citado como o mais confiável para o compartilhamento de dados pessoais por 46% dos entrevistados.  Em segundo lugar, surgem os provedores de meios de pagamento (25%), seguidos pelos provedores de tecnologia (10%).  A pesquisa ouviu 10 mil consumidores e mil empresas em 21 países para identificar o cenário de prevenção a fraude em relação a transações digitais.

A liderança das instituições financeiras se repete no comportamento global, sendo que nos Estados Unidos esse índice foi de 42%, e atingiu o maior percentual (54%) na Colômbia. “O investimento em inovação, redução de riscos e fraudes e o uso transparente e inteligente de informações são referenciais valiosos para alavancar o poder dos dados, o que gera confiança e entrega de experiências cada vez mais relevantes”, disse o diretor de Prevenção a Fraude da Serasa Experian, Eduardo Castro.

E as empresas planejam aumentar os investimentos em tecnologias para garantir o conforto do consumidor durante o uso de seus serviços. Castro afirma que 50% das companhias ouvidas planejam ampliar os investimentos destinados a transparência e prevenção a fraudes.

"As empresas sempre trabalharam com as fraudes mais clássicas, como roubo de documentos, de cartões de crédito, boletos falsos. Agora elas precisam lidar com fraudes mais complexas, e isso exige novos investimentos", afirmou Castro.

O termômetro da confiança

O levantamento também avaliou como o consumidor lida em relação à coleta, uso e armazenamento de seus dados pessoais por parte das empresas. Nesse contexto, o setor financeiro novamente ficou em evidência, com 32% dos brasileiros afirmando que “confiam totalmente” nas instituições financeiras. O mesmo percentual se repete para meios de pagamento, posicionando esses segmentos no Brasil à frente dos demais países.

No cenário global, o nível de confiança nas instituições financeiras chega a ser três vezes maior do que em lojas de varejo online (sites e aplicativos). No Brasil, a diferença chega a 19 pontos percentuais (2,5 vezes maior).“Isso mostra que o investimento robusto em TI e em recursos visíveis de segurança destinados pelo setor financeiro nos últimos anos, a fim de ampliar a proteção de operações e informações pessoais contra fraudes, tiveram reflexo direto e positivo na visão dos consumidores”, destacou Eduardo Castro, exemplificando com a declaração do Imposto de Renda, em que o usuário precisa colocar senha e recebe mensagem de que o arquivo transferido é criptografado.

Segundo o levantamento, os maiores aumentos no nível de confiança, nos últimos 12 meses, também foram nesses segmentos: 33% para bancos e seguradoras e 30% para provedores de meios de pagamento.  À CDTV, do Convergência Digital, Eduardo Castro falou sobre o resultado da pesquisa e do impacto da privacidade dos dados. Assistam.


Carreira
Oito em cada 10 líderes de TI assumem dependência dos dados

Estudo feito pela IBM mostra que 19% do total de entrevistados na América Latina esperam um alto ROI de investimentos em tecnologias estabelecidas como cloud, IoT, mobile, e 11% esperam um ROI de tecnologia emergente como blockchain ou 5G.

Falta de alinhamento da TI com o negócio prejudica redes corporativas

Só 36% das empresas se dizem “muito satisfeitas” com redes e apontam disparidade como maior obstáculo, segundo pesquisa da Accenture.

Cartilha do MCTIC ao Congresso lista 150 programas que precisam de orçamento

Documento reúne sugestões como Gesac, redes de fibra óptica no Norte, Nordeste, base de Alcântara, satélite, entre outros. 

Teles adotam Código de Conduta de Telemarketing

São seis princípios básicos, entre eles ligações apenas em horários adequados e respeitar o desejo do consumidor que não quiser receber ligações. Segundo a Anatel,desde julho, quando foi criada a plataforma 'Não me Pertube', mais de dois milhões de telefones foram bloqueados para as operadoras.

Britânia adere à inteligência artificial na gestão e nos produtos

"A nossa ideia é ter pessoas qualificadas pensando em produtos melhores e não em funções repetitivas", diz a gerente de Marketing, E-commerce e parcerias da indústria, Samanta Puglia. A executiva admitiu que essa guinada já trouxe dores, entre elas, a mudança do quadro de pessoal.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G