SEGURANÇA

Microsoft apaga base de dados com 10 milhões de fotos usadas para treinar reconhecimento facial

Convergência Digital ... 07/06/2019 ... Convergência Digital

A Microsoft apagou uma base de dados com 10 milhões de fotos de 100 mil pessoas de todo o mundo que estaria sendo utilizada para treinar sistemas de reconhecimento facial. Trata-se da MS Celeb, desenvolvida em 2016 para ser um repositório de imagens de celebridades, mas esse é um conceito que se mostrou flexível. 

Segundo o pesquisador americano radicado em Berlim Adam Harvey, um dos responsáveis pelo projeto Megapixels, celebridades para essa base de dados podem ser “jornalistas, artistas, músicos, ativistas, criadores de políticas, escritores e acadêmicos”.  Ele também alerta que apesar do movimento da Microsoft, parte do material ainda pode ser acessado pelo Github.

Na prática o MS Celeb é a terceira base de dados de fotografias retiradas da internet – ou quase – a partir da divulgação de suas existências no Megapixels. Primeiro foram a ‘Brainwash’,  de um café na cidade de San Francisco, e a Duke MTMC [de Multi-Target, Multi-Camera], o sistema de câmeras de vigilância da Univesidade de Duke, em Durham, ambas nos Estados Unidos. 

O projeto Megapixels se propõe a investigar as implicações éticas e os efeitos sobre a privacidade individual de bancos de dados utilizados por sistemas de reconhecimento facial e como tudo isso alimenta o uso crescente de tecnologias de vigilância com uso de dados biométricos. 

As informações da Megapixels sobre a MS Celeb foram primeiro divulgadas pelo jornal britânico Financial Times e ganharam o mundo. Não por menos, a Microsoft tirou a página do ar, sem alarde. Assim como outras bases de dados – algumas identificadas pelo projeto, mas ainda ativas – esses repositórios alimentam sistemas de aprendizado de máquina em reconhecimento facial e foram usadas, pelo menos, por duas empresas SenseTime e Megvii. 


NEC - Conteúdo Patrocinado - Convergência Digital
Multibiometria: saiba como ela pode cuidar da sua segurança digital

Plataforma Super Resolution, que integra espaços físicos e digitais, será apresentada pela primeira vez no Brasil no Futurecom 2018. Um dos usuários da solução é o OCBC Bank, de Cingapura. A plataforma permite o reconhecimento instantâneo das pessoas à medida que se aproximem da agência.

Accenture compra divisão de segurança cibernética da Symantec

Os valores da transação não foram revelados. Com a aquisição a Accenture Security passa a fazer parte dos principais fornecedores de serviços de segurança gerenciados e terá a nuvem como plataforma de desenvolvimento.

Adiar a LGPD para ganhar tempo não vai resolver o problema das empresas

“Existe um viés de adiamento, mas isso não vai resolver o problema”, afirma o gerente de contas do grupo Binário, Leandro Alves.

Serpro faz a plataforma para consentimento ao uso de dados no Governo

“O governo coleta informações para usos obrigatórios, mas para outros usos precisa de consentimento”, explica o superintendente de segurança da informação da estatal, João Vieira de Almeida Junior.

Cyberseason se alia à NEC e diz que LGPD vai mudar a cibersegurança no Brasil

"O hacker brasileiro é único. Ele não quer atacar fora da fronteira. Ele ataca internamente. É um comportamento diferente", afirmou o co-fundador e CEO da Cyberseason, Lior Div. O 5G também trará mudanças relevantes.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G