INCLUSÃO DIGITAL

Google Station é plataforma de monetização para Programa WiFi Livre SP

Por Roberta Prescott ... 06/06/2019 ... Convergência Digital

O Brasil é o oitavo país a receber o Google Station, plataforma para implantação de pontos de acesso Wi-Fi, que já conta com mil pontos de acesso à internet em alta velocidade na Índia, Indonésia, México, Tailândia, Nigéria, Filipinas e Vietnã. O anúncio foi feito nesta quinta-feira 6/6 durante a terceira edição do evento anual Google for Brasil, realizado em São Paulo.

O Google Station está sendo usado pela América Net e Linktel em 80 hotspots espalhados na capital de São Paulo, tais como Parque do Ibirapuera, praças e estações de trem da CPTM como Barra Funda e Pinheiros, com objetivo de monetizar o acesso à internet.

Neste primeiro momento, os pontos de acesso têm patrocínio do Itaú. A América Net firmou parceria com a prefeitura de São Paulo para expandir seus pontos de acesso à internet sem fio na capital de São Paulo. A operadora, que antes atuava em 60 praças, passará a ter 621 pontos e investirá R$ 20 milhões para a construção de infraestrutura.

O presidente do Google Brasil, Fábio Coelho, pontuou que a missão da empresa é organizar o conteúdo e torna-lo acessível; e lembrou que a Internet é cada vez mais importante para o crescimento e desenvolvimento da nossa economia e bem-estar dos cidadãos. "Até o fim de 2020, o objetivo é trabalharmos com parceiros para que milhares de brasileiros tenham acesso à internet de graça pelo Google Station", destacou, ressaltando que a meta é democratizar acesso inclui pessoas e empresas.

"As ferramentas Google ajudaram a movimentar R$ 41 bilhões em atividade econômica e fomentaram a criação de empregos. O impacto é enorme para empresas pequenas, médias e grandes", assinalou. "As pequenas empresas precisam de toda força que conseguir e ajudá-las a crescer está no nosso DNA", completou.


Mais da metade das mulheres no mundo está sem acesso à Internet

União Internacional de Telecomunicações adverte que o sexo feminino é o mais afetado pela desigualdade no acesso à banda larga, em especial, nos países em desenvolvimento.

Huawei: nação digital é o último estágio da transformação digital

Conceito ainda é muito novo, mas engloba o uso e a análise dos dados para retroalimentar produtos e processos, conta o diretor de Comunicação e Relações com o Governo da Huawei Brasil, Juelinton Silveira.

Audima cria ferramenta para levar conteúdo aos analfabetos digitais

A partir da própria dor, uma vez que tem dislexia, Paula Pedrosa criou a Audima, uma startup que transforma palavras em áudios. "O império da visão exclui muita gente. Nosso desafio, hoje, é mostrar que inclusão monetiza", observa a executiva.

Domicílios com Internet chegam a 67% no Brasil, mas desigualdade permanece

TIC Domicílios 2018, do CGI.br, revela que as classes D e E elegeram o smartphone como o meio preferencial de acesso.

Nas favelas, há jovens ávidos para aprender e trabalhar com TICs

O projeto Vai na Web já formou 200 jovens em linguagem de programação, mas, agora,busca recursos para ensinar as profissões do futuro como Inteligência artificial e internet das coisas.

Anatel aprova consulta para aumentar potência do Wi-Fi

Além de permitir o uso de equipamentos WiFi na faixa de 60 Ghz, para o WiGig, que promete conexões de até 7 Gbps, agência prevê aumentar a potência atual dos aparelhos na faixa de 5 GHz.  



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G