Home - Convergência Digital

5G e Internet das Coisas exigem um uso remodelado dos postes

Por Roberta Prescott e Pedro Costa - 05/06/2019

A Anatel está atualizando as regras do compartilhamento de postes em conjunto com a Aneel. Em entrevista à Abranet, Fábio Casotti, gerente de monitoramento das relações entre prestadoras na superintendência de competição na Anatel, o objetivo é obter condições justas para a utilização dos postes.

Questionado sobre o valor do ponto de fixação para as pequenas empresas, Casotti defendeu que a Resolução Conjunta nº 4 foi positiva para trazer uma dinâmica de preço de referência. "E hoje percebemos que ela pode ser aprimorada, tendo um regime que possa melhor reproduzir os custos e debater a modicidade tarifária. Estamos discutindo com a Aneel para ter condições mais justas para os prestadores regionais", disse.

Casotti reforçou a narrativa lembrando que Internet das coisas, 5G e cidades inteligentes requerem adensamento. "Estamos de face ao movimento que leva a usabilidade para outro patamar; o que era voltado para experiências individuais passa agora para um ecossistema novo", disse. "Há necessidade de densificação para suprir a demanda por conectividade, confiabilidade, latência e capacidade. Vamos precisar dotar o País de uma densa e muito sólida rede de fibra ótica e small cells", completou.

No Brasil, existem, atualmente 46 milhões de postes e a Anatel identificou algo como 9 milhões de postes elegíveis à unificação, isto é, que estão expostos à demanda além de sua capacidade formal. "É enorme a importância do tema e como ele se insere no atual momento da indústria quando estão sendo elaborados os planos de negócios, das faixas e desenhos de licitações", afirmou, ressaltando que a Anatel não está inerte e está fazendo a revisão da norma.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

10/07/2020
Londrina quer vender Sercomtel por R$ 130 milhões

09/07/2020
Receita simplifica certificado digital online para pessoa jurídica

09/07/2020
Justiça libera You Tube de informar e-mail e IP de usuários que publicam filmes piratas

08/07/2020
NIC.br abre novas opções de domínios .br

08/07/2020
Governo recria Conselho Nacional do Consumidor e inclui Anatel

07/07/2020
Refarming vai trazer 5G antes do leilão da Anatel, diz Rodrigo Abreu, da Oi

07/07/2020
Brasscom: Sem desoneração da folha, software e serviços perdem vez no Brasil

07/07/2020
Covid-19 acelerou digitalização de 200 serviços públicos

07/07/2020
ABES: Software cobra transparência do ministério da Economia

06/07/2020
Com mais de 50 projetos contra Fake News tramitando na Casa, PL 2630/20 chega à Câmara Federal

Destaques
Destaques

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site