TELECOM

Banda larga e serviços digitais turbinam lucro 22% maior da Telefônica/Vivo

Luís Osvaldo Grossmann ... 09/05/2019 ... Convergência Digital

O lucro da Telefônica/Vivo cresceu 22,2% no primeiro trimestre de 2019, batendo em R$ 1,3 bilhão no período. Segundo a empresa, a estratégia segue focada na expansão da fibra óptica, que atende tanto o crescente mercado de banda larga fixa, e aos poucos tende a predominar também na TV paga, como os sites de 4G e 4,5G, além de preparar a rede para a chegada do 5G. As receitas chegaram a R$ 10,9 bilhões (+1,7%), sendo R$ 7 bilhões no segmento móvel e R$ 3,9 bilhões no fixo.

“Nosso plano prevê alcançarmos em três anos 33% das casas conectadas sobre o total de home passed. E estamos adiantados nesse plano, que tem sido muito bem sucedido comercialmente, e vamos ser agressivos como no ano passado, quando chegamos a 30 cidades. Mas mais importante que o número de cidades é o numero de casas. Hoje temos 9 milhões de home passed e esperamos entre 18 a 20 meses chegar perto de 15 milhões. A performance tem sido melhor que a esperada”, afirmou o presidente executivo da empresa, Christian Gebara, durante divulgação de resultados nesta quinta, 9/5. Dos R$ 9 bilhões previstos em investimentos em 2019, R$ 1,7 bi foram no primeiro trimestre.

A Telefônica vê potencial em capitais até aqui desatendidas pelas tecnologias mais modernas, especialmente nas regiões Norte e Nordeste do país. Foram nove novas cidades com FTTH entre janeiro e março, sendo que o plano é chegar a 20 até o fim deste ano, incluindo cidades como Teresina-PI, São Luís-MA, Belém-PA e Manaus-AM. Segundo Gebara, a modernização da rede vai acompanhar a lucratividade e o que ele chama de mercados competitivos e não competitivos. É o cenário que vai definir onde entra fibra e onde continuarão a predominar as conexões em xDSL.

A mencionada boa performance implicou em crescimento de 12,6% das receitas com banda larga no primeiro trimestre – turbinado justamente pela fibra, uma vez que as conexões FTTH representaram 31,6% desse crescimento. Na comparação com o primeiro trimestre de 2019, a receita nesse segmento cresceu 49,6% - e o total de assinantes FTTH 44,1%. Segundo os números da Telefônica, as receitas combinadas de FTTH e IPTV já representam 16,3% do faturamento dos serviços fixos, tendo crescido a taxas anuais de 55% desde 2017.

Segundo Gebara, a estratégia em fibra também atende o serviço móvel, a joia do negócio, e onde a Vivo lidera com folga (7,5 pontos acima do segundo) e morde quase um terço do mercado (32,1%). As receitas móveis cresceram 1,6% entre janeiro e março, com impacto de reajustes nos preços tanto em planos pós pagos (5% a 9%) como pré-pagos e controle (11% a 20%). “É preciso racionalidade de preços para termos recursos para investimentos”, disse o presidente da empresa. O desempenho móvel inclui ganhos de R$ 6,4 bilhões com serviços e outros R$ 598 milhões com a venda de aparelhos. O faturamento com dados e serviços digitais chegou a R$ 5,3 bilhões, chegando a 82% da receita total do segmento e valores que significam um crescimento de 8%.




Revista do 62º Painel Telebrasil 2018
Veja a revista do 62º Painel Telebrasil 2018 Brasil Digital: O futuro é agora - é o tema da revista do Painel Telebrasil 2018.
Edição, com 104 páginas, consolida os debates realizados no evento, que reuniu a indústria de Telecomunicações.
Clique aqui para ver outras edições

Oi se posiciona como prestadora de serviços de TI

Tele estruturou serviços como segurança cibernética, big data e gestão integrada. "Entender as dores e as necessidades do cliente é uma obrigação", afirma Rodrigo Shimizu, diretor de Marketing do Corporativo da Oi.

"Estamos comprometidos com o futuro do Brasil", diz CEO da Telefónica

Em reunião geral dos acionistas, realizada em Madrid, o presidente do conselho e CEO da Telefónica José María Álvarez-Pallete, afirmou que o Brasil é um dos países que mais vai crescer no mundo com a revolução digital.

Câmara proíbe teles de enviarem mensagens comerciais a clientes

Projeto de Lei 757/03 altera a LGT para vedar o envio de mensagens comerciais próprias ou de terceiros para os celulares dos clientes da telefonia móvel. Terminativo na CCJ, PL segue direto ao Senado. 

Novo projeto de lei prevê cobertura celular obrigatória de 60% das estradas

PL 1721/19 prevê inclusão da medida nas futuras licitações da Anatel. Texto precisa passar pelas comissões de ciência e tecnologia, finanças e tributação e de constituição e justiça. 




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G