Home - Convergência Digital

Brasscom: É urgente incluir computação no currículo do ensino médio e fundamental no Brasil

Ana Paula Lobo - 08/05/2019

É urgente que o Governo inclua, o quanto antes se possível, computação e programação no currículo dos alunos do ensino médio e fundamental no Brasil, sustenta o presidente-executivo da Associação Brasileira das empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação, Brasscom, Sergio Paulo Gallindo, que participou de encontro com a imprensa nesta quarta-feira, 08/05, em São Paulo, para a divulgação do relatório setorial de TIC 2018.

"Colocar computação e programação no currículo é uma ação que tem de acontecer ontem. É uma política pública obrigatória. As empresas privadas investem em treinamento, mas é preciso fazer com que os jovens se apaixonem por tecnologia. O Brasil precisa estar pronto para a economia digital ou vai ficar de fora", observou o executivo. O estudo setorial prova que apenas Internet das Coisas - que ainda está incipiente no País - terá uma demanda de 110 mil profissionais até 2024.

"Nem estou pensando neste ano ou mesmo no próximo ano. Mas de 2020 a 2024 há muitos negócios acontecendo em IoT. Vamos precisar de mão de obra e não temos. Hoje há 45 mil profissionais de TICs sendo formados no Brasil. A demanda já de 70 mil. O gap anual já está em 24 mil especialistas. Isso só tende a crescer com e economia real migrando para a economia digital", adverte.

Indagado sobre o papel das empresas privadas, Sergio Paulo Gallindo assegura que os associados da Brasscom têm investido de forma bastante significativa em capacitação de profissionais. "Muitos dos profissionais formados chegam ao mercado precisando passar por capacitação. As empresas fazem esse investimento. Mas a base tem de vir do governo. Eles têm de ter formação de mão de obra em computação como política pública. Economia digital é inexorável. O Brasil tem de se preparar para ontem", reforça.

O relatório setorial de TIC, produzido pela Brasscom, constata que o setor de TICs responde por 7% do Produto Interno Bruto. O País, hoje, responde por 44,8% do mercado da América Latina, o que significa ter uma participação de 2,2% do mercado mundial. Em termos de emprego, o setor empregou em 2018, 1,520 milhão, com a criação de 43 mil novos postos de trabalho, mesmo com a estagnação econômica e as turbulências da política. Nas contas da Brasscom, até 2024, se o setor conseguir dobrar a sua participação no PIB, serão necessários 420 mil novos profissionais.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

16/06/2020
Laércio Cosentino, da TOTVS, assume presidência do Conselho da Brasscom

27/05/2020
Brasscom: Prorrogação da desoneração da folha gera 335 mil novos postos de trabalho em TI

14/05/2020
TI pede mais flexibilidade nas relações de trabalho durante a Covid-19

13/04/2020
Transformação Digital nacional movimentará R$ 465,6 bilhões até 2023

09/04/2020
Brasscom: Autoridade de Dados é mais importante do que novo prazo para a LGPD

09/04/2020
Coronavírus: Empresas de TI não assumem compromisso formal, mas se mobilizam para não demitir

25/03/2020
Brasscom apoia redução de salário, suspensão de contratos e pede desoneração da folha

10/03/2020
Para Brasscom, fim da desoneração da folha elimina 383 mil empregos em TICs

09/03/2020
Software e serviços de TI contrataram 30 mil novos profissionais em 2019

17/07/2019
Brasscom vai à Justiça por entendimento unificado sobre desconto em folha

SAS Institute oferece 50% de desconto em julho em cursos voltados a análise de dados

Quer aprender a tirar o melhor proveito do seu dado? Aprenda como tirar insights para o seu negócio. Entre os cursos com desconto estão 'descomplicando os dados através de relatórios' e 'entendendo e tirando valor dos dados usando códigos SAS'

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Seis dicas para formar uma equipe de trabalho resiliente

or Craig Mackereth*

Formar uma equipe ou força de trabalho resiliente não é tarefa que se execute da noite para o dia. Tampouco é possível tornar uma equipe verdadeiramente resiliente se isso ainda não estiver integrado ao DNA da empresa.

Destaques
Destaques

Teletrabalho: medo de perder emprego cria obrigação de ficar 100% online

Pesquisa do LinkedIn aponta que 68% dos brasileiros têm trabalhado de uma a quatro horas a mais por dia por conta de estarem em home office. Maior parte reclama de ansiedade e estresse. Maioria também reclama da ausência dos colegas de trabalho, mas 43% se sentem mais produtivos com o trabalho remoto.

TST suspende demissões na Dataprev enquanto durar crise da Covid-19

Trabalhadores alegaram que os prazos acordados no fim da greve não terão como ser integralmente cumpridos diante da situação emergencial com a epidemia do coronavírus. 

TST: Teletrabalho tem de respeitar os contratos vigentes

Corte aponta, no entanto, que em situações emergenciais, como a atual crise da Covid-19, a adoção da jornada online temporária prescinde formalização, mas deve respeitar leis trabalhistas. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site