Convergência Digital - Home

Telefônica vende metade de seus datacenters, dois deles no Brasil

Convergência Digital
Luís Osvaldo Grossmann - 08/05/2019

A Telefónica anunciou nesta quarta, 8/7, a venda de 11 de seus 23 datacenters para o fundo espanhol especializado em infraestrutura Asterion Industrial Partners por 550 milhões de euros, ou cerca de R$ 2,4 bilhões. Do total alienado, dois deles são no Brasil – em São Paulo e Curitiba – esses pelo valor de R$ 441 milhões.

No comunicado à Comissão de Valores Mobiliários brasileira, a operadora informou que “a transação tem como objetivo otimizar a alocação de capital da Companhia, gerando valor aos seus acionistas”. Inicialmente, as tratativas de venda começaram ainda em 2018 e chegou a ser indicada a expectativa de passar adiante todos os datacenters que a empresa possui pelo mundo.

Além dos dois no Brasil, foram vendidos datacenters na Argentina (2), Chile (1), Estados Unidos (1), Espanha (2), México (1) e Peru (2). Mas o acordo envolve um contrato de prestação de serviços, de forma que a operadora vai continuar oferecendo os serviços que presta atualmente para o mercado corporativo, “assegurando a continuidade da prestação de serviços de housing pela a área de B2B aos clientes da Companhia”, conforme informado à CVM. 


Destaques
Destaques

IDC: mercado de nuvem pública vai chegar a R$ 15 bilhões em 2020

Mercado de TI brasileiro vai crescer 5,8% impulsioando pelos negócios de clóud computing e pela aceleração do mercado de software. Nuvem privada tem a preferência das grandes empresas e fica com até 25% do orçamento destinado à TI.

BRK Ambiental, CTG Brasil e Via Varejo aderem à nuvem na jornada digital

Empresas implementaram a plataforma SAP S/4HANA para sustentar a estrastégia digital. Os negócios de cloud tiveram forte impacto na receita da SAP Brasil.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desafios às empresas: Contêineres, Orquestração e Microsserviços

Por Lenildo Morais*

Com o padrão “multi-edge edge computing”, o tráfego e os serviços de TI mudam de uma nuvem centralizada para micro-nuvens espalhadas o mais próximo possível dos usuários. As operadoras terão que oferecer serviços sob demanda, e mesmo em tempo real, para atender a todos os tipos de aplicativos.

Você já pensou no impacto que os seus dados geram no planeta?

Por Gustavo Loiola*

Hoje, são milhares de data centers espalhados pelo Planeta. É engraçado pensar nisso quando hoje falamos da tal da “nuvem" que armazena os nossos dados. Tiramos uma foto? Vai para a nuvem. Postamos no Instagram? Vai para a nuvem. Netflix, Spotify, Deezer? O streaming também está na nuvem.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site