Home - Convergência Digital

Mais de meio milhão de brasileiros trabalham com TICs

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann - 02/05/2019

Em um raio-X de dez anos do mercado de trabalho em tecnologia da informação no Brasil, a Softex mostra que esse é um dos setores com demanda contínua e crescente de mão de obra no país. Entre 2007 e 2017, período em que o desemprego no Brasil pulou de 7% para 13%, o setor de TI quase dobrou o número de profissionais no mercado formal: de 291,3 mil para 514,6 mil, um crescimento de 76%.

Segundo o relatório do Observatório Softex, são profissionais distribuídos entre empresas especializadas em serviços de TI e aquelas empresas que não são de tecnologia, mas precisam da TI no dia a dia. Conforme os números, essas últimas empregavam no fim de 2017, 310,4 mil profissionais, enquanto aquelas de ‘core’ TI outros 204,1 mil.

A trajetória, no entanto, mostra uma gradual mudança nesse perfil. Em 2007, as empresas tratadas como ‘TI in House’ empregavam 70% do total, então 203 mil. Mas enquanto nelas o crescimento foi de ‘apenas’ 53% nas vagas, naquelas de TI Core elas mais que dobraram (131%), de 88 mil para as mencionadas 204 mil.

“Pode-se inferir que a tendência de crescimento do número de profissionais de TI é mais sensível nos outros setores da economia (In House) do que nos setores tipicamente de TI (Core), pois apresentou queda em 2011, 2015 e 2016 enquanto que os empregados nos setores tipicamente de TI (Core) apresentaram queda apenas em 2016”, avalia a Softex.

“Pode sugerir que os empregos para os profissionais de TI nos setores exclusivos da carreira (core) flutuem menos do que aqueles que estão no restante da economia”, conclui o relatório, acrescentando que “em momentos de crise a opção pode ser a minimização de serviços que agregam valor à empresa, mas que não são o centro do negócio em si.”

Algumas áreas tiveram um crescimento mais significativo. O desenvolvimento de programas de computador sob encomenda se tornou a atividade com maior concentração de profissionais na década analisada pela Softex, reunindo quase 30% do total. Foi uma área que cresceu 212% entre 2007 e 2017.

É um segmento com desempenho atrás apenas do desenvolvimento e licenciamento de programas customizáveis (alta de 299%) e de atividades em portais, provedores de conteúdo e outros campos da internet, que embora ainda empregue cerca de 2% do total, era praticamente inexistente dez anos antes (a alta foi de 2.192%).

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

21/11/2019
Análise de requisitos define sucesso ou morte dos projetos de TI

18/11/2019
Dispara procura por analista de dados e assistente virtual no terceiro trimestre

14/11/2019
Startup brasileira de TI abre 45 vagas

11/11/2019
No Brasil, Justiça impede demissão por namoro entre funcionários

07/11/2019
QuintoAndar quer contratar analistas de dados

04/11/2019
Fornecedora de serviços digitais abre 80 vagas de emprego em todo o Brasil

24/10/2019
Para 41% dos jovens, tecnologia gera tristeza, ansiedade ou depressão

22/10/2019
Falta de alinhamento da TI com o negócio prejudica redes corporativas

17/10/2019
Cientista de Dados, desenvolvedor, CTO e analista de segurança da Informação são os mais procurados em TI

16/10/2019
Reforma tributária é um assalto e ao software e serviços em geral

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

Por Breno Santos*

A transformação digital ainda é um desafio para muitas empresas no Brasil e a aplicação estratégica das novas soluções deve acontecer por meio de equipamentos e mão de obra qualificada.

Destaques
Destaques

Análise de requisitos define sucesso ou morte dos projetos de TI

Como demonstra o professor e pesquisador Marcos Kalinowski, do departamento de informática da PUC-RJ, especificação boa ou ruim pode triplicar a produtividade ou aumentar em até 50% os custos. O professor da PUC-RJ coordena um projeto de pesquisa na área de Engenharia de Requisitos que envolve mais de 50 pesquisadores de 20 países.

Negócios na nuvem vão gerar 491 mil empregos diretos no Brasil até 2024

A batizada, 'economia Salesforce', formada pelo ecossistema de parceiros e clientes da companhia, vai gerar nos próximos seis anos, 780 mil empregos indiretos e uma receita de R$ 247 bilhões em novos negócios. Transformação digital será responsável por 50% dos gastos com software e computação em nuvem.

Cientista de Dados, desenvolvedor, CTO e analista de segurança da Informação são os mais procurados em TI

Essa é a constatação do Guia Salarial 2020, produzido pela consultoria Robert Half, com atenção às pequenas, médias e grandes empresas. Cientista de Dados pode ter salário inicial em torno de R$ 13 mil nas pequenas empresas e de R$ 26 mil nas grandes corporações.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site