INOVAÇÃO

Grupo Sabin usa Inteligência Artificial para monitorar cibercrimes

Luis Osvaldo Grossmann e Pedro Costa ... 23/04/2019 ... Convergência Digital

A proteção dos dados que envolvem saúde de clientes exige soluções avançadas e as melhores ferramentas disponíveis. Por isso, a Lei Geral de Proteção de Dados é foco de atenção desde que ainda era um projeto de lei, confessou o gerente nacional de tecnologia do grupo Sabin Medicina Diagnóstica, Edgar Moreira, ao participar de mesa redonda sobre cibersegurança e o impacto nos negócios, realizada pelo Convergência Digital, em parceria com a Unisys e a Dell EMC, em Brasília.

“Precisamos ter uma segurança até maior que bancos, porque trabalhamos com informações muito sensíveis, que são sobre saúde. Então trabalhamos com as melhores ferramentas do mercado. E estamos analisando o uso de inteligência artificial para fazer análise comportamental de cibercrimes. Para avaliar o caminho que o cibercriminoso faz”, pontuou Moreira.

“Temos acompanhado a LGPD desde as primeiras votações. A gente precisa olhar isso, até pela questão dos dados sensíveis. E um dos artigos principais da lei é sobre o consentimento. A informação é do cliente e não posso fazer nada com ela se ele não autorizar. Isso cria questões para o tratamento de dados”, afirma.

A tarefa é ainda maior diante da própria digitalização do negócio. “A gente vem trabalhando a transformação digital nos processos de melhoria da experiência do cliente. Recentemente lançamos um aplicativo em que o cliente não precisa sair de casa. Ele envia todas as informações via celular. E é feita uma coleta externa, na residência do cliente. O resultado sai por notificação, com o cliente sabendo na hora que está pronto.” São mais dados online.

A adaptação exigiu até mesmo mudanças na estrutura do grupo. “Criamos um comitê multidisciplinar da LGPD e já fizemos uma política de privacidade, além de analisar como os dados estão armazenados, sua localização. E criamos um barramento para as diversas soluções. Temos que pensar nos clientes, mas também no público interno, nos colaboradores.”


Aceleradora busca start-ups e projetos no setor de Cannabis no Brasil

The Green Hub realiza o Cannabis Thinking, para fomentar o desenvolvimento de projetos criativos. Em março, acontecerá o Demo Day.

BC contrata Dinamo Networks e faz acontecer o pagamento instantâneo

Autoridade Monetária selecionou a fornecedora brasileira para comprar 22 HSMs, voltados à segurança das transações por R$ 1,350 milhão. Todo o software usado é desenvolvido no Brasil. Nova infraestrutura pode ser a pá de cal nos cartões de débito, TEDs e DOCs.

Oi Futuro e Sebrae lançam edital de aceleração para empreendedores

Startups terão acesso a espaço de coworking e poderão ganhar prêmios de até R$ 25 mil. Iniciativa terá seis meses de duração e reúne mentorias, consultorias e workshops.

boostLAB, do BTG Pactual, abre espaço para ERPs, big data e Edtechs

A quarta edição do programa superou a marca de 260 empresas inscritas. Para o Batch #5 serão selecionadas de cinco a dez startups para seguirem no programa durante cinco meses. Inscrições abrem nesta quinta-feira, 05/12.

STJ valida sistema 'mailbox' e confirma patente por 20 anos

​A Terceira Turma do STJ, por unanimidade, estabeleceu em 20 anos o prazo de vigência de patente concedida pelo sistema mailbox, contado a partir da data do depósito do pedido pelo interessado.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G