NEGÓCIOS

Empresas de TI ameaçam abandonar Curitiba se o ISS não baixar para 2%

Convergência Digital* ... 05/04/2019 ... Convergência Digital

Pelo menos doze empresas de TI estudam sair de Curitiba caso não haja redução na alíquota de 5% do Imposto Sobre os Serviços (ISS) cobrado pela Prefeitura. A decisão foi anunciada pela Assespro-Paraná, entidade sem fins lucrativos que representa o setor de tecnologia e inovação no Estado, em reunião com a coordenação de projetos da Secretaria Municipal de Finanças.

Segundo o vice-presidente de Comunicação e Marketing da entidade e advogado tributarista, Lucas Ribeiro, a alta tributação dificulta novos investimentos e afeta a competitividade das empresas em nível nacional e internacional. Com a mudança, Curitiba perderia cerca de R$ 1 bilhão do faturamento dessas empresas.

“Temos em Curitiba empresas que são referência no Brasil e no Mundo. Seria uma perda muito grande se elas mudassem para outras cidades mais atrativas com relação aos impostos, como Joinville, Recife, Florianópolis ou Brasília, que têm 2% de alíquota para a área de TI. Esta última concentra hoje mais empresas de tecnologia do que Curitiba”, explicou Ribeiro. Expectativa da Assespro PR é que a prefeitura se posicione dentro de 30 dias.

O vice-presidente de Articulação Política da Assespro PR, Paulo Roberto Coimbra Manuel, afirmou que há o forte interesse das empresas de TI trabalharem fortemente no incentivo à formação de profissionais para atender a alta demanda do mercado por meio de cursos técnicos, mas advertiu que é preciso também oferecer condições igualitárias para que as empresas mantenham os investimentos em Curitiba. "Há cidades mais interessantes hoje para os empresários", sinalizou.

Estiveram presentes na reunião Mario Nakatani Junior, da Coordenadoria de Projetos da Informação da Prefeitura de Curitiba; Miriam Feueuharmel, auditora fiscal do Instituto das Cidades Inteligentes (ICI); Paulo Roberto Coimbra de Manuel, vice-presidente de Articulação Política da Assespro-PR e sócio da SIGMA; Rodrigo Curi Gallego, vice-presidente de Qualidade, Planejamento e Controle da Assespro-PR e sócio da QLA; Lucas Ribeiro, vice-presidente de Comunicação e Marketing da Assespro-PR e sócio da ROIT Innovation; Paulo Raymundi CEO da Gestran e Rui Suzuki, proprietário da CentralServer, ambos da Diretoria da Subsecção de Curitiba e Região Metropolitana da Assespro-PR.

*Fonte: Assespro PR


Cloud Computing
Embraer cria sistema de big data e analytics com AWS e Claranet

Companhia criou o IKON, sistema para captação, armazenamento e análise de alto volume de dados para manutenção preditiva de aeronaves da família E-Jets. Com o novo produto, a coleta automática de dados passou de 12 dias para um processo imediato, garantindo que os dados estejam prontos para serem analisados ​​5 minutos após sua geração na aeronave.

Avanço dos hackers vai fazer brasileiro comprar mais seguros

O brasileiro faz seguro de bens materiais, mas está começando a entender que é preciso também proteger seus dados devido ao avanço dos crimes cibernéticos, observa o diretor da Capgemini Marcio Gropillo. Seguradoras correm contra o tempo para se adaptarem às novas demandas.

Facebook une 27 empresas, lança moeda virtual Libra e invade espaço dos bancos

Rede social pretende lançar a moeda no primeiro semestre de 2020. Microsoft, Uber e Vodafone estão na iniciativa.

Pegasystems chega ao Brasil para brigar pelo mercado de CRM e IA

Norte-americana, que atuava por meio de parceiros, abriu operação local e tem como objetivo rivalizar com Salesforce, IBM e Oracle. Empresa também quer atuar com prestadores de serviços de TI.

BRQ: desafio é pensar o negócio de forma diferente para entender a dor do cliente

O CEO e fundador da prestadora de serviços de TI, Benjamin Quadros, diz que a maneira de fazer software mudou muito nos últimos 20 anos e segue mudando por conta da disrupção digital. Mas adverte para a falta de bons profissionais.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G