NEGÓCIOS

Empresas de TI ameaçam abandonar Curitiba se o ISS não baixar para 2%

Convergência Digital* ... 05/04/2019 ... Convergência Digital

Pelo menos doze empresas de TI estudam sair de Curitiba caso não haja redução na alíquota de 5% do Imposto Sobre os Serviços (ISS) cobrado pela Prefeitura. A decisão foi anunciada pela Assespro-Paraná, entidade sem fins lucrativos que representa o setor de tecnologia e inovação no Estado, em reunião com a coordenação de projetos da Secretaria Municipal de Finanças.

Segundo o vice-presidente de Comunicação e Marketing da entidade e advogado tributarista, Lucas Ribeiro, a alta tributação dificulta novos investimentos e afeta a competitividade das empresas em nível nacional e internacional. Com a mudança, Curitiba perderia cerca de R$ 1 bilhão do faturamento dessas empresas.

“Temos em Curitiba empresas que são referência no Brasil e no Mundo. Seria uma perda muito grande se elas mudassem para outras cidades mais atrativas com relação aos impostos, como Joinville, Recife, Florianópolis ou Brasília, que têm 2% de alíquota para a área de TI. Esta última concentra hoje mais empresas de tecnologia do que Curitiba”, explicou Ribeiro. Expectativa da Assespro PR é que a prefeitura se posicione dentro de 30 dias.

O vice-presidente de Articulação Política da Assespro PR, Paulo Roberto Coimbra Manuel, afirmou que há o forte interesse das empresas de TI trabalharem fortemente no incentivo à formação de profissionais para atender a alta demanda do mercado por meio de cursos técnicos, mas advertiu que é preciso também oferecer condições igualitárias para que as empresas mantenham os investimentos em Curitiba. "Há cidades mais interessantes hoje para os empresários", sinalizou.

Estiveram presentes na reunião Mario Nakatani Junior, da Coordenadoria de Projetos da Informação da Prefeitura de Curitiba; Miriam Feueuharmel, auditora fiscal do Instituto das Cidades Inteligentes (ICI); Paulo Roberto Coimbra de Manuel, vice-presidente de Articulação Política da Assespro-PR e sócio da SIGMA; Rodrigo Curi Gallego, vice-presidente de Qualidade, Planejamento e Controle da Assespro-PR e sócio da QLA; Lucas Ribeiro, vice-presidente de Comunicação e Marketing da Assespro-PR e sócio da ROIT Innovation; Paulo Raymundi CEO da Gestran e Rui Suzuki, proprietário da CentralServer, ambos da Diretoria da Subsecção de Curitiba e Região Metropolitana da Assespro-PR.

*Fonte: Assespro PR


Cloud Computing
Universidade de Nova York escolhe empresa brasileira para projeto de nuvem

Plataforma desenvolvida pela Radix garante segurança de informações confidenciais e é usada por diferentes agências norte-americanas para abrigar mais de 50 bases de dados confidenciais, em todos os níveis do governo dos Estados Unidos.

NVIDIA: Inteligência Artificial exige mais profissionais no Brasil

Inteligência Artificial é o mercado mais promissor para novos negócios, revela o gerente de desenvolvimento da área Enterprise da NVIDIA, Marcio Aguiar. No Brasil, a NVIDIA adota a estratégia de abrir suas APIs para o desenvolvimento e pesquisa.

Assespro Paraná será um agente de crédito para empresas de TI

Entidade poderá intermediar de R$ 20 mil a R$ 1,5 milhão. Empresas com faturamento entre R$ 360 mil a R$ 16 milhões podem se candidatar aos recursos.

Blockchain vira um vale de desilusão nas corporações

A advertência é feita pelo Gartner, uma vez que os gestores admitem que  boa parte dos projetos não consegue ir além da fase inicial de experimentação. A consultoria elenca sete erros cometidos pelas empresas, entre eles acreditar que exista um padrão de interoperabilidade e que a tecnologia está pronta para o uso.

Rakuten: não há lugar para todos na guerra das maquininhas

A maior concorrência entre os fornecedores beneficia lojistas e consumidores, afirma o CEO e presidente da Rakuten no Brasil, René Abe. Com a LGPD chegando, empresa recomenda a atualização imediata das plataformas para evitar, entre outros, o roubo de dados pessoais.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G