INOVAÇÃO

Empresas recorrem ao STF contra "uber dos ônibus"

Convergência Digital* ... 04/04/2019 ... Convergência Digital

A Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati) ajuizou a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 574 no Supremo Tribunal Federal (STF) para questionar um conjunto de decisões judiciais que autorizam o funcionamento do “fretamento colaborativo” de ônibus por meio de aplicativos. O relator da ação é o ministro Edson Fachin.

“Os chamados ‘uber dos ônibus’ não são nada além de versões tecnológicas das ‘vans piratas’ e das ‘lotadas’ de ontem”, sustenta a Abrati. Para a associação, esse serviço “não passa de escancarada e inconstitucional fuga regulatória”, voltada para uma tentativa de descaracterização do serviço de transporte coletivo público e regular.

Entre os atos do Poder Público apontados como causadores da lesão estão decisões dos Tribunais Regionais Federais da 1ª, 3ª e 4ª Regiões e dos Tribunais de Justiça dos Estados de São Paulo e Minas Gerais, em primeira e segunda instâncias. A associação também alega que há omissão das agências reguladoras de transporte terrestre na fiscalização e na proibição do transporte coletivo de passageiros por agentes sem outorga específica do Estado.

O site da principal plataforma desse tipo de fretamento, denominada “BUSER”, segundo a Abrati, “deixa claro que a atividade em questão é a de prestadora de serviço de transporte coletivo intermunicipal e interestadual regular”. Essa atividade, segundo a associação, fere o artigo 6º da Constituição Federal, que expressamente qualifica o transporte coletivo de passageiros como serviço público e prevê um regime específico para seu desempenho.

Ainda segundo a Abrati, a medida viola a garantia de prestação de serviço público adequado, assegurada pelos princípios da universalidade, da continuidade e da regularidade do serviço público de transporte coletivo, e a garantia de concorrência justa e leal. A associação argumenta que a criação de plataformas digitais de aproximação de demandas, próprias da chamada economia de compartilhamento, reacendeu a discussão sobre a inserção no mercado de prestação do serviço regular de transporte coletivo de passageiros sem delegação do Poder Público.

A Abrati pede a concessão de liminar para suspender as decisões judiciais questionadas e para que as agências reguladoras de transporte terrestre adotem providências concretas para fiscalização, proibição e sanção dos prestadores de transportes em tal modalidade. No mérito, requer a declaração de inconstitucionalidade das decisões judiciais e o reconhecimento da omissão das agências em relação a fiscalização da matéria.

* Com informações do STF


Cloud Computing
RNP, com AWS, Huawei e Microsoft, oferece nuvem de graça para pesquisa de combate à Covid-19

Serviço está liberado para a comunidade acadêmica e de pesquisa até o final de julho para as organizações que têm algum vínculo com a RNP. “Poder computacional é uma das grandes dores de quem tem uma aplicação e precisa de um ambiente seguro", observa o diretor-adjunto de serviços, Luiz Coelho.


Softex e MCTIC abrem edital para selecionar 100 projetos de inteligência artificial

Serão escolhidos projetos nas áreas de agronegócios, saúde, indústria e cidades inteligentes que poderão receber aportes de R$ 500 mil.

Pesquisa de inovação mostra investimento baixo e falta de política pública

Segundo o IBGE, as empresas inovadoras do Brasil investiram menos de 2% da receita em P&D. “A agenda de inovação é urgente e deveria ser prioridade”, aponta a Confederação Nacional da Indústria. 

Laura, a IA nacional que já salvou 12 mil vidas, entra no combate ao Coronavírus

Tecnologia será disseminada em todo o Brasil, depois de um acordo com o governo federal. Em setembro do ano passado, no Rio Info 2019, o Convergência Digital entrevistou um dos idealizadores da Laura.

Brasil precisa formar massa crítica de empreendedores para inovação

A posição é defendida pelo CEO da Fábrica de Startups, Hector Simões, que tem como meta se tornar o maior hub de inovação do Rio de Janeiro.

Investimentos em fintechs disparam para R$ 7,6 bilhões no Brasil

Aportes triplicaram puxados pela injeção de R$ 1,9 bilhão no Nubank e R$ 1,6 bilhão no Banco Inter.  Brasil ocupa o quinto lugar entre os maiores centros de captação de fundos de fintechs no mundo.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G