Home - Convergência Digital

TCU manda Executivo, Congresso e Judiciário adequarem terceirizados à nova CLT

Luís Osvaldo Grossmann - 02/04/2019

O Tribunal de Contas da determinou União decidiu que os órgãos do Executivo, Judiciário e Legislativo adequem os contratos de serviços terceirizados às alterações ocorridas na Consolidação das Leis do Trabalho. Para a Corte de Contas, não são mais devidos pagamentos em dobro pelo trabalho realizado em feriados e o adicional noturno, a não ser que haja previsão em acordo, convenção coletiva ou em contrato individual de trabalho.

A decisão, proposta pelo relator Bruno Dantas e aprovada pelo Plenário do TCU, também vale para as empresas estatais e veio no Acórdão 712/19, que determina aos mencionados que “promovam a adequação (revisão ou repactuação, conforme o caso) dos contratos de prestação de serviços de execução indireta com dedicação exclusiva de mão de obra com jornada em regime de 12x36 horas, tendo em vista as modificações trazidas pelo art. 59-A da CLT”.

Segundo o TCU, “a alteração deve ser feita mediante termo aditivo contratual, compensando-se nas faturas vincendas os efeitos financeiros a favor da Administração existentes deste 14/11/2017, seguindo-se da supressão da planilha de custos e formação de preços das parcelas que asseguravam a percepção em dobro nos dias de trabalho durante os feriados e as prorrogações de trabalho noturno. O termo aditivo terá eficácia retroativa a 14/11/2017, mas com a disciplina dos seus efeitos financeiros a partir da sua assinatura, considerando o caso concreto”.

Completa o Tribunal de Contas que “s houver discordância por parte do contratado na realização do termo aditivo, deve-se adotar medidas para rescindir o contrato, atentando-se, contudo, para encontrar meios de não causar a suspensão ou interrupção de serviço considerado pela autoridade competente como essencial para a Administração, cuja falta ou supressão traga prejuízo ou dano maior ao interesse público”.


Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

17/11/2020
TST admite divisão e vai rediscutir ilicitude da terceirização

12/11/2020
TCU fará auditoria sobre adequação dos órgãos públicos à LGPD

28/09/2020
STF: Terceirizados e empregados de empresa pública podem ter salários diferentes, mesmo com as tarefas iguais

11/09/2020
TCU: Governo não tem obrigação de contratar Serpro e Dataprev para serviços de TI

11/09/2020
TCU pede cautelar contra liquidação da CEITEC determinada pela Economia

18/08/2020
Robôs do TCU identificaram R$ 220 milhões em compras suspeitas contra Covid-19

10/08/2020
Zello, o chatbot do TCU com IA, passa a emitir certidões via WhatsApp

05/08/2020
TCU dispensa papel e adota protocolo 100% digital

23/07/2020
Escola do TCU abre selecão para curso on-line de Machine Learning

08/07/2020
TCU: órgãos públicos não têm dinheiro e recursos técnicos para usar Blockchain

Diversidade e Ciência de Dados: um desafio ao Brasil

Mais mulheres precisam ocupar carreiras em Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática pelo bem do País, incentiva a embaixadora da Women in Data Science da USP (WiDS @USP), Renata Sousa.

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A confiança é ganha com mil atos e perdida com apenas um

Por Luis Banhara*

À medida que o conceito de trabalho se descola dos escritórios, mesmo que parcialmente, surgem novos desafios de segurança. A superfície de ataque foi ampliada.

Destaques
Destaques

Certificação é critério de seleção para encarregado de dados

Ainda que a LGPD não exija qualificação específica, o mercado busca profissionais com conhecimento na área. Formação pode custar até R$ 6 mil, observou Mariana Blanes, advogada e sócia do Martinelli Advogados, ao participar do CD em Pauta.

Teletrabalho: sem regulamentação, sem direitos, sem deveres, sem regras

Depois da nota técnica do MPT alertando para o direito à desconexão, Congresso tenta acelerar a votação dos PLs que tratam do tema, entre eles o PL 3915/20. O tema é complexo. IN 65, do governo federal, repassa os custos com tecnologia para os servidores no home office.

Ministério Público: Teletrabalho exige direito à desconexão

Ministério Público do Trabalho elaborou uma nota técnica direcionada para as “empresas, sindicatos e órgãos da administração pública”.  Na orientação, sugere a adoção de etiqueta digital para orientação de patrões e empregados.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site