INTERNET

Dados Pessoais: Google recebe punição máxima de 50 milhões de euros na França

Ana Paula Lobo* ... 21/01/2019 ... Convergência Digital

A França, por meio da Regulação sobre Proteção Geral de Dados (GDPR), aplicou a maior multa por violação de regras de privacidade da União Europeia no Google. A punição de 50 milhões de euros, ou R$ 200 milhões, foi aplicada pela agênica de proteçaõ de dados. O regulador francês afirmou que o Google não é transparente e claro na maneira como informa usuários sobre seu trato com dados pessoais e não obteve consentimento apropriado dos usuários para envio de anúncios publicitários personalizados.

A Regulação sobre Proteção Geral de Dados (GDPR) da UE, a maior reforma em leis de privacidade de dados em mais de duas décadas, entrou em vigor em maio do ano passado. Ela permite aos usuários um melhor controle sobre seus dados pessoais e dá às autoridades o poder de impor multas de até 4 por cento da receita global em caso de violações.

“O montante decidido e a publicidade da multa são justificados pela gravidade das infrações observadas”, reforçou a agência francesa. O Google, por sua vez, afirmou que está “profundamente comprometido em cumprir as exigências de consentimento da GDPR”. O movimento não é isolado da França.

Na Áustria, a organização sem fins lucrativos Noyb, acusou Apple, Amazon,  Netflix, Spotify e YouTube de desrespeito às regras do Regulamento Geral sobre Proteção de Dados da União Europeia (GPDR). “Nenhum dos serviços se enquadrou completamente à legislação”, disse a noyb, em comunicado. O GDPR, implementado em maio, dá aos usuários o direito de acessar seus dados e informações sobre a origem e o destino das informações. Ass redes sociais devem renovar suas permissões europeias sempre que quiserem usar os dados de novas maneiras, incluindo para propagandas direcionadas.

No Brasil, no final da sua gestão, o ex-presidente Michel Temer criou a estrutura da ANPD - Autoridade Nacional de Proteção de Dados Pessoais, estabelecida pela Medida Próvisória 869/18, que ainda será avaliada pelo Congresso Nacional na próxima Legislatura que se iniciará em fevereiro. A legislação brasileira de dados pessoais está agendada para entrar me vigor em agosto de 2020.As punições para as infrações à legislação podem chegar a 2% do faturamento da empresa – o limite da multa é R$ 50 milhões.

*Com Agência Reuters


Vispe Capital e BEX se unem por investimento estrangeiro para ISPs

Para Droander Martins, CEO da Vispe Capital, a consolidação é um caminho inevitável, uma vez que muitos provedores estão sem acesso a recursos financeiros para expandir suas redes e negócios.

Dados de 2,4 milhões de brasileiros no SUS teriam vazados. Governo nega

Hacker teria encontrado brecha para divulgar informações do CadSUS, que é o Sistema de Cadastramento de usuários do Sistema Único de Saúde brasileiro (SUS). Ministério da Saúde descarta vazamento, mas encaminhou denúncia à Polícia Federal.

Sérgio Moro cria conta no twitter para “explicar propostas” da Justiça

“Quero explicar aqui o projeto de lei anticrime, além das medidas executivas em andamento do Ministério”, tuitou o ministro, ressaltando que “este twitter é meu mesmo”.

Provedores SCM encostam na Vivo na banda larga fixa

As PPPs fecharam fevereiro com 24,46% do mercado nacional, ou 7,65 milhões de contratos ativos. A Claro segue na liderança com 30,03% do mercado.

2018 foi o ano de consolidação de FTTH na América Latina

Mas para que o uso da fibra óptica continue crescendo serão necessárias ações regulatórias de fomento à banda larga, novas arquiteturas e o uso de novas tecnologias de FTTH, observou o presidente da Fiber Broadband Association, Eduardo Jedruch.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G