Home - Convergência Digital

Municípios seguram 4 mil pedidos para novas antenas de celular

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 10/12/2018

Em todo o Brasil, mais de 4 mil pedidos de instalação de novas antenas de celular aguardam licenciamento pelas prefeituras em grandes cidades brasileiras. Apenas em São Paulo são 1,2 mil desses pedidos, mas há dois anos o município não libera licenças de instalação.

Para as operadoras de telecomunicações, os grandes entraves são as legislações municipais defasadas, burocracia e o longo prazo para a liberação das licenças. Na conta do setor, os investimentos nessa ampliação da cobertura e na qualidade dos sinais de voz e internet somam R$ 2 bilhões, com a expectativa de que 45 mil empregos seriam gerados.  Em São Paulo seriam R$ 600 milhões e 13 mil empregos.

O Brasil tem 92 mil antenas em todos os municípios brasileiros, mas com o uso cada vez maior de vídeos a crescente demanda por novos serviços, será necessário um número cada vez maior de antenas e a instalação de fibra óptica. As previsões são de que, entre 2016 e 2021, o tráfego de dados móveis em smartphones vai crescer 12 vezes.

“Enquanto o mundo fala em cidades inteligentes, Internet das Coisas e 5G, grandes cidades brasileiras, entre elas algumas capitais, estão presas a legislações antigas, muitas delas de uma época em que a tecnologia ainda era o 2G e pouco se usava a internet móvel. Hoje, todos querem mobilidade e fazem um uso intenso do celular para várias atividades”, lembra o Sinditelebrasil.

Em função da defasagem das leis municipais, o processo de licenciamento de antenas tem levado mais de um ano em média, enquanto a apelidada Lei das Antenas (13.116/15) prevê prazo máximo de 60 dias. Essa lei implica em atualizações das legislações municipais. Mas em São Paulo, a versão atual do projeto de lei 751/13, que trata do assunto, aguarda votação há dois anos pelos vereadores.

“Esses problemas têm colocado grandes cidades brasileiras entre as últimas posições no Ranking das Cidades Amigas da Internet. De acordo com a edição 2018 do ranking, cidades como Brasília, São Paulo, Fortaleza e Belo Horizonte estão entre as dez piores em condições para a instalação de infraestrutura, dificultando o processo de expansão dos serviços promovido pelas prestadoras”, aponta o Sinditelebrasil.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

09/01/2019
Cobertura é prioridade 1 na escolha da operadora móvel

19/12/2018
RNP muda para ir ao mercado e oferecer serviços de nuvem

18/12/2018
Porto Alegre tem nova lei de antenas. Teles projetam investir R$ 75 milhões

14/12/2018
Clonagem de celular preocupa Anatel e operadoras

10/12/2018
Municípios seguram 4 mil pedidos para novas antenas de celular

07/12/2018
Governo faz ajuste em PPB de celulares

04/12/2018
No Brasil, 54 de cada 100 celulares já são 4G

24/10/2018
Itália multa Apple e Samsung por atualização que reduz desempenho de celular

22/10/2018
São Paulo leva até 5 anos para licenciar novas antenas de celular

03/10/2018
Acesso patrocinado abre novas receitas para teles

Destaques
Destaques

Projeto de inovação usa 4G em 450 Mhz para Internet das Coisas

Seis startups foram selecionadas para iniciativa Agro IoT Lab 2018, voltada para a transformação digital do agronegócio, da Vivo, Raízen e Ericsson.

5G exige pelo menos 100 MHz para cada operadora no Brasil

O tema preocupa a coordenação de espectro do 5G Brasil, uma vez que foram destinados 300 MHz na faixa intermediária e há quatro operadoras nacionais.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site