TELECOM

Eletropaulo quer cassação de operadora que usa poste de forma irregular

Convergência Digital ... 03/12/2018 ... Convergência Digital

A CPFL Paulista e da AES Eletropaulo prometem apertar a fiscalização sobre a ocupação irregular em suas redes de postes. Além de cortes de cabos ilegais, as concessionárias adotaram políticas de autodenuncia para facilitar o processo dos prestadores que querem se regularizar e operar de forma legal.

“Os prestadores não precisam ter medo de fazer a autodenuncia. E isso vale para aqueles que atuam à revelia, de forma clandestina ou com pendências técnicas”, afirmou o engenheiro Ricardo Valim, da CPFL, durante workshop promovido pela Abranet sobre o tema.

Há três meses, a companhia contratou uma empresa com incumbência de fiscalizar sua rede de postes. Os prestadores de telecomunicações estão sendo notificados e têm 10 dias de prazo para procurar a concessionária e apresentarem projeto para se regularizarem. No caso de agrupamento de cabos, o prazo é de 180 dias.

Após esse prazo, se nada for feito, os cabos são cortados.  Esta política, segundo a companhia, será estendida para todas as regiões onde a concessionária opera. “Até agora já foram fiscalizados 3 mil postes. E a maioria deles com ocupações irregulares”, disse Valim.

Já a AES Eletropaulo adotou uma política mais dura. A empresa também contratou uma terceira para o trabalho de fiscalização, mas não irá notificar ninguém. “Se alguma empresa for flagrada na operação de fiscalização, não haverá mais espaço para negociação. A autodenuncia vale para aqueles que se anteciparem”, ressaltou Leandro Aquino, gerente de Clientes Corporativos da empresa.

A empresa defende, inclusive, a proibição de serviço de empresas flagradas em uso irregular dos postes. “Estamos defendendo junto à agência reguladora a cassação da concessão para os clandestinos”, afirmou o gerente de Clientes Corporativos da Eletropaulo.

O prazo para adesão à política de autodenuncia da AES Eletropaulo vai até 22 de janeiro. A autodenuncia também implica em pagamento de multa (12 vezes o valor do poste multiplicado pelos pontos irregulares) e apresentação de projeto. Os prazos para a entrega dos projetos de viabilidade técnica variam conforme o tamanho da rede. A partir da entrega do projeto, o corte é suspenso. Há também prazos para a execução do projeto. Se o projeto for reprovado, será necessário fazer mudança de rota ou aterramento dos cabos.

O presidente da Abranet, Eduardo Parajo, que mediou o workshop, destacou a importância do treinamento das equipes de campo, com algum tipo de certificação. “O número de acidentes fatais por causa de instalações inseguras tem aumentado e as concessionárias estão sendo pressionadas por órgãos públicos e pela sociedade civil”, ressaltou.


Internet Móvel 3G 4G
Reino Unido define futuro da Huawei no 5G

Conselho de Segurança Nacional do Reino Unido, presidido pelo primeiro-ministro, Boris Johnson, bate o martelo nesta terça-feira, 14 de julho, se a Huawei estará ou não nos projetos 5G. Decisão política define se o Reino Unido ficará próximo da China ou se vai balizar o governo Donald Trump, dos EUA.

Padtec reorganiza e se prepara para ir à Bolsa de Valores

IdeiasNet, ex-controladora, foi incorporada pela Padtec Holding. Ida à B3 é estratégia de médio prazo e servirá para a expansão internacional da companhia.

Londrina quer vender Sercomtel por R$ 130 milhões

Tentativa de privatização da operadora, que tem cerca de 400 mil acessos de telefonia e internet, foi remarcada para 18/8, na B3. Prefeitura admitiu o parcelamento na aquisição para atrair interessados nessa nova tentativa.

Refarming vai trazer 5G antes do leilão da Anatel, diz Rodrigo Abreu, da Oi

Executivo adverte, porém, que é necessária uma massificação de verdade na infraestrutura ótica no País. Para Abreu, o leilão tem de acontecer em 2021. “O Brasil não pode atrasar mais”, pontuou.

STF decide que Lei estadual que proíbe fidelização é constitucional

Para a Ministra relatora Rosa Weber, a lei do Rio de Janeiro apenas veda a fidelização, sem interferir no regime de exploração ou na estrutura remuneratória da prestação dos serviços. O objetivo, segundo ela, é apenas a proteção dos usuários.

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G