INTERNET

Só 27% dos que usam smartphones se sentem no controle dos dados pessoais

Convergência Digital ... 20/11/2018 ... Convergência Digital

Há um sensível aumento no número de consumidores que protegem seus dados pessoais. Nos primeiros seis meses de 2018 pelo menos 26% das pessoas que possuem smartphones passaram a proteger suas identidades e informações pessoais pela primeira vez. No total, 76% dos usuários de celulares despendem tempo e ações efetivas para garantir alguma forma de segurança.

O movimento, segundo indica o quinto estudo anual do Forum do Ecossistema Móvel, Global Consumer Trust Study, parece vir em resposta aos vários casos de vazamento de dados que afetaram a confiança dos usuários, além da entrada em vigor da regulação europeia sobre proteção de dados, mais conhecida pela sigla em inglês GDPR [General Data Protection Regulation]. “O impacto coletivo dos escândalos e as novas regras de proteção da privacidade estão incentivando as pessoas a reconsiderarem o que fazer com seus dados. E uma clara maioria está tentando se proteger”, diz a pesquisa.

O estudo ouviu 6,5 mil usuários de smartphones em 10 países, inclusive no Brasil, e identificou que 63% desejam gerenciar eles mesmos seus dados e exigem soluções que os coloquem no controle. No entanto, apenas 27% dos entrevistados indicam se sentirem efetivamente no controle de seus dados pessoais, enquanto 36% não se sentem com opções efetivas quando se deparam com termos e condições de uso que exigem acesso a seus dados. Há, portanto, uma clara discrepância entre o valor que os usuários dão a suas informações e o efetivo controle sobre elas.

O documento indica que 72% dos usuários de smartphones consideram a privacidade importante, enquanto 68% assim entende o conhecimento sobre como os dados pessoais são utilizados. Para 57%, a coleta de dados representa riscos e 69% indicam que deixam de baixar aplicativos diante de excessivas permissões solicitadas, enquanto 63% desistem de uma compra via celular por questões de confiança.

Além da GDPR, o estudo destaca que legislações relacionadas à proteção de dados estão sendo instituídas ou revisadas no Brasil e nos outros nove países analisados, França, Alemanha, Índia, Polônia, Japão, Espanha, África do Sul, Reino Unido e Estados Unidos. O levantamento indica que 97% dos entrevistados consideram ter direitos sobre seus dados pessoais, mesmo que parte deles não saibam exatamente quais são esses direitos.


Europa busca consenso para taxar gigantes da Internet

Uma nova proposta costurada por Alemanha e França reduz o escopo da cobrança para mirar apenas nas receitas com publicidade.

5G exige rediscussão imediata da neutralidade de rede

"Serão novas e tão diferentes aplicações, e algumas até podem fazer a diferença entre a vida e a morte. A questão da neutralidade precisa ser encarada agora no mundo e aqui no Brasil", sustenta o diretor da 5G Americas e de Relações com o Governo da Ericsson Brasil, Tiago Machado.

Serviço de streaming de esporte chega ao Brasil e usa YouTube e Facebook

A DAZN inicia oferta comercial em março do ano que vem e terá exclusividade da Copa Sul-Americana de 2019. Modelo de negócio é por curto prazo e por partida transmitida. Empresa, especializada em esportes, tem atuação na Europa, EUA e Ásia

Associação de OTT quer Autoridade de Dados tratada na transição do governo Bolsonaro

Associação Brasileira de OTT diz que a criação da autoridade poderá ficar prejudicada após a intensa mudança de quadros no Executivo e Legislativo o que poderá prejudicar a aplicação efetiva da Lei de Dados Pessoais em 2020.

Só 27% dos que usam smartphones se sentem no controle dos dados pessoais

Pesquisa em 10 países, inclusive no Brasil, aponta que os sucessivos casos de vazamentos e novas leis de proteção da privacidade despertaram a preocupação com dados pessoais e 76% tentam protegê-los.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G