INTERNET

Justiça negocia plataforma para cooperação jurídica online com a Interpol

Convergência Digital ... 19/09/2018 ... Convergência Digital

Um grupo de 13 países, incluindo o Brasil, costura um acordo para adotar uma plataforma online internacional para a troca de informações em processos criminais, com o que parece ser um esforço de substituir os acordos de cooperação jurídica, considerados lentos por autoridades, por um sistema eletrônico.

Batizado de Projeto e-MLA, o acordo em elaboração prevê o uso do sistema de comunicação da Interpol como sistema digital de tramitação de pedidos de cooperação jurídica internacional que contemple todos os países membros da organização.

Como relata o Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica da Secretaria Nacional de Justiça (DRCI/SNJ) em 12 e 13/9 foi realizada a terceira reunião do grupo de trabalho com objetivo de estabelecer essa plataforma para a troca de dados de forma eletrônica.

Além do Brasil, estão negociando o e-MLA a Austrália, Áustria, Colômbia, República Tcheca, França, Países Baixos, Romênia, Espanha, Senegal, Suíça, Ucrânia e Estados Unidos, além de representantes do Conselho da Europa, a Comissão Europeia e o escritório das Nações Unidas sobre drogas e crime (UNODC).

“A Interpol possui, desde 2005, o sistema I-24/7, uma rede de comunicação segura e avançada que garante a comunicação em tempo real, conectando policiais de diversos países e possibilitando a troca de informações sensíveis e urgentes relevantes para processos criminais em todos os países membros. Essa plataforma contempla bancos de dados que englobam desde impressões digitais até a identificação de vítimas de desastres”, informa o Ministério Público Federal.

O grupo de trabalho elaborou um Relatório de Viabilidade Legal, que será submetido à Assembleia Geral da Interpol em novembro de 2018, além de um documento com especificações técnicas para a criação da plataforma e um conjunto de regras para viabilizar a cooperação jurídica. Caso o projeto seja aprovado pela Assembleia Geral da Interpol, serão iniciados os trabalhos técnicos para a construção da plataforma.

Nota do Ministério da Justiça

Em nota encaminhada ao Convergência Digital, o Ministério da Justiça solicita a correção do texto publicado. O portal não considera necessário. Mas publica o texto recebido na íntegra.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Gostaríamos de esclarecer alguns pontos publicados na matéria "Justiça negocia plataforma para cooperação jurídica online com a Interpol", divulgada no dia 19 de setembro de 2018. Link abaixo.
(http://www.convergenciadigital.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?UserActiveTemplate=site&infoid=48993&sid=4)

 O projeto e-MLA é uma iniciativa da Interpol e, atualmente, a Secretaria Geral da Interpol coordena as atividades do Grupo de Trabalho (GT) criado para discutir assunto. Esse GT tem a missão de estabelecer bases jurídicas e técnicas para o desenvolvimento de uma plataforma dedicada à tramitação de pedidos de Cooperação Jurídica Internacional em Matéria Penal. Nesse primeiro momento, o grupo de trabalho elaborou as regras para o uso da plataforma.

 Ressaltamos que a iniciativa de criação da plataforma não pretende substituir os acordos de cooperação jurídica já existentes e em vigor. Ao contrário, o arcabouço jurídico existente (legislações internas, acordos bilaterais e multilaterais) deve ser respeitado no uso desse novo canal eletrônico de comunicação que será disponibilizado aos 192 Países Membros da Interpol.

A conformação do projeto nessa sua primeira etapa foi discutida em três reuniões, que contaram com a presença e colaboração de representantes dos seguintes países: Austrália, Áustria, Brasil, Colômbia, República Checa, França, Países Baixos, Romênia, Espanha, Senegal, Suíça, Ucrânia e Estados Unidos, além de representantes de Organizações Internacionais, como Conselho da Europa, Comissão Europeia e Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Unodc).

O desenvolvimento da plataforma nesses moldes tem a finalidade de suprir uma importante demanda dos países, no sentido de viabilizar meios seguros e juridicamente válidos (de acordo com legislações internas, acordos bilaterais e multilaterais já em vigor) para a transmissão de pedidos de assistência jurídica mútua em matéria penal, aumentando a eficiência, acessibilidade e transparência desses processos com a utilização de meios eletrônicos para a comunicação.

A iniciativa busca ainda minimizar o uso de meios excessivamente formais e lentos na cooperação jurídica, incompatíveis com o progresso das tecnologias, com a crescente necessidade de velocidade e efetividade nas transmissões de informação.

A ideia é de que a nova plataforma e-MLA, concebida com foco na tramitação de pedidos de cooperação jurídica internacional, seja disponibilizada para utilização opcional por parte dos Países Membros da Interpol e represente uma nova ferramenta de facilitação da cooperação, substituindo de forma segura e válida os meios tradicionais de tramitação de papéis e com o devido respeito ao arcabouço jurídico já existente.

Atenciosamente,

Assessoria de Comunicação Social

Gabinete do Ministro

Ministério da Justiça


 

 


Dona das Casas Bahia e Ponto frio lança banco digital no Brasil

Grupo Via Varejo anunciou parceria com startup norte-americana Airfox, com foco em clientes de baixa renda e uso das 800 lojas físicas como pontos de atendimento no país.

Acessos acima de 34Mbps já são 30,6% da banda larga fixa no Brasil

Planos com maiores velocidades são os que mais cresceram nos quatro primeiros meses de 2019, embora 13,6% das conexões ainda sejam abaixo de 2 Mbps. Provedores Internet seguem sendo os impulsionadores do desempenho da banda larga fixa.

Serpro: O não consentimento será a exceção com dados pessoais

Diretor-Presidente do Serpro, Caio Paes de Andrade, lembra que, com o LGPD, um órgão público ou privado - poderá, sem consentimento, processar dados em situações como o cumprimento de um  contrato.

Mais de 22 mil conteúdos ilegais da Internet foram removidos no Brasil no 1º tri

A ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software) informa que esse montante é 9% maior do que o retirado no primeiro trimestre de 2018.

Peru, Colômbia, Equador e Bolívia se unem contra ICANN e Amazon

Presidentes dos quatro países contestam decisão favorável da ICANN à companhia norte-americana pelo domínio da Internet e acusam a entidade de conduzir uma governança inadequada da Internet.

Revista Abranet 27 . abril/junho 2019
Veja a Revista Abranet nº 27 A Convenção Abranet 2019 debateu economia, política e gestão. Cerca de cem empresas de internet e de tecnologia puderam ter uma visão mais clara sobre o que esperar no curto prazo. E muito mais.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G