Home - Convergência Digital

Empregos em TI dobram em 10 anos e passam de 500 mil no Brasil

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann - 10/09/2018

Ao se distribuírem pelas mais diversas atividades econômicas, os empregos em tecnologia da informação apresentam uma trajetória para lá de virtuosa, aponta o Panorama do Setor de TICs 2018, elaborado pela Assespro Nacional, em parceria com a Assespro Paraná e a Universidade Federal do Paraná. Segundo esse estudo, entre 2006 e 2016 a taxa de crescimento dos postos de trabalho no setor avançou em ritmo duas vezes superior à média nacional.

No período compreendido pelo Panorama, o emprego na área de TI no país passou de 266 mil postos de trabalho para 505 mil. “Nesse período, a taxa de crescimento da geração de empregos na área de TI foi de 65%. Isto equivale a uma taxa cerca de 2 vezes superior à do crescimento total do emprego, da ordem de 31%, no período”, afirma o estudo.

De acordo com o levantamento, no Brasil houve um crescimento contínuo na geração de empregos na área de TI, salvo uma ligeira queda de três pontos percentuais em 2011, e de dois pontos percentuais em 2016, em relação aos anos anteriores.

O bom desempenho está ligado ao uso da TI em diferentes atividades. “Os dados de geração de empregos, na área de TI, nos respectivos subsetores analisados, indicam um elevado grau de difusão dessa atividade profissional na economia, notadamente em atividades nas quais o uso da TI tem sido um vetor de modernização dos processos produtivos”, aponta o Panorama do Setor.

Ainda segundo o estudo, “o ritmo mais intenso de criação de postos de trabalho no subsetor de Informação e comunicação revela a importância econômica crescente desta atividade enquanto geradora de serviços na área de TI. Já o crescimento do emprego em TI em outros subsetores revela um processo de capacitação interna, seja para desenvolvimento próprio, seja para preparação do pessoal para adquirir e operar o conhecimento na área.

Como mostra o Panorama, entre os 21 subsetores de atividades econômicas listados na CNAE 2.0, oito concentraram 90% do emprego na área de TI, em 2016. Os serviços de Informação e comunicação participaram com 44% do total. Este foi seguido por Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (11%), Indústrias de transformação (8%), e Atividades administrativas (também 8%). Atividades financeiras (5%), administração pública (5%), atividades profissionais (5%) e educação (4%) completam esse quadro.

A distribuição geográfica do emprego na área de TI indica que São Paulo concentrou 43% do total, em 2016, seguido por Rio de Janeiro (10%), Minas Gerais (8%), Rio Grande do Sul (6%), Paraná (6%), Distrito Federal (5%) e Santa Catarina (5%).

A recente crise econômica, no entanto, também atingiu o segmento em cheio. Como destaca o levantamento da Assespro, “o intervalo 2014-2016 revela uma  retração mais intensa do crescimento do emprego total, da ordem de dez pontos percentuais”.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

07/06/2019
Vai à sanção lei que cria Carteira de Trabalho eletrônica

06/06/2019
Empresas de TI de Santa Catarina estão com mais de 700 vagas

05/06/2019
Grupo DB1 abre 80 vagas para home office

30/05/2019
Mesmo após quatro altas, emprego na indústria eletrônica é menor que 2018

29/05/2019
Integradora de TI tem 31 vagas de TI abertas

29/05/2019
Em 10 anos, faturamento e empregos em TI no Brasil crescem mais de 70%

20/05/2019
Empresa desenvolve algoritmo que seleciona candidatos a emprego

20/05/2019
Falsas ofertas de emprego fazem o Brasil campeão de phishing

15/05/2019
São Francisco proíbe polícia de usar reconhecimento facial

08/05/2019
Sem qualificação em TICs, Brasil ficará com os piores empregos, aponta MCTIC

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

Falta de mão de obra qualificada espanta investidores no Brasil

Mais de 50% dos jovens brasileiros podem ficar fora do mercado de trabalho por falta de qualificação e de habilidades digitais. A advertência foi feita por especialistas que debateram sobre educação e capacitação digital no Painel Telebrasil 2019.

Assespro é contra a regulamentação da profissão de TICs

Entidade das empresas de TI se posiciona contrária ao PLS 317/17. que passa a exigir diploma de profissões como Analista de Sistemas, desenvolvedor, engenheiro de sistemas, analistas de redes, administrador de banco de ados, suporte e profissões correlatas.

Mais de meio milhão de brasileiros trabalham com TICs

Raio-X do mercado de trabalho nos últimos 10 anos, feito pela Softex, mostra que o salário médio de R$ 6 mil.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site