TELECOM

TIM quer isenção de Fust e Fistel para redes em áreas não rentáveis

Luís Osvaldo Grossmann ... 05/09/2018 ... Convergência Digital

A Anatel realizou nesta quarta, 5/9, a última audiência pública sobre a proposta de plano estrutural de redes de telecomunicações, que pretende ser a referência para a necessidade de investimentos nos próximos dez anos. E entre as discussões de como financiar a expansão da infraestrutura, a Tim defendeu a inclusão de um mecanismo que garanta a isenção de taxas nesses investimentos.

“A TIM gostaria de relembrar o anteprojeto de lei. Na nossa opinião ele deve contemplar quatro ajustes para assegurar que os recursos tributários sejam destinados à expansão da banda larga e não promovam a oneração do setor, o que é um pleito de todos. Assim, além do abandono da majoração do Fust, entendemos que o fomento a construção de novas redes deveria prever a adoção do mecanismo ‘pay or play’”, defendeu a gerente de políticas setoriais da Tim, Gabriella de Salvio.

Como ela mesma explicou, trata-se da “possibilidade de as operadoras executarem projetos em áreas não rentáveis sem recolhimento do Fust e do Fistel. E pela lógica do ‘pay’, fazer os recolhimentos da forma como já é feito, mas em seguida com a demanda de verbas para execução de projetos”.

Assim como na primeira reunião pública para discutir o PERT, a operadora fez coro com outras empresas do setor contra o aumento da alíquota do Fust – ou seja, a principal preocupação não é nem com o plano de redes em si, mas com a proposta de anteprojeto de lei que foi encaminhada como sugestão ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Pela proposta, o Fust passaria a ser usado para serviços prestados tanto em regime público como privado. Mas eleva a alíquota de 1% para 3% da receita bruta anual – percentual que seria de apenas 0,5% para empresas com faturamento de até R$ 100 milhões e de 1,5% para aquelas com faturamento de até R$ 500 milhões. Em compensação, o Fistel passaria a ser menor com a queda da TFF de 33% para 5% da TFI, com a redução da TFI de estações satelitais de R$ 201 para R$ 26 e com a isenção para equipamentos de comunicação M2M.



Revista do 62º Painel Telebrasil 2018
Veja a revista do 62º Painel Telebrasil 2018 Brasil Digital: O futuro é agora - é o tema da revista do Painel Telebrasil 2018.
Edição, com 104 páginas, consolida os debates realizados no evento, que reuniu a indústria de Telecomunicações.
Clique aqui para ver outras edições

Celulares terão que indicar taxa de radiação emitida

Ao revisar o regulamento que trata da exposição eletromagnética, Anatel prevê 120 dias para que os equipamentos vendidos tragam a informação nas caixas ou manuais.

Bloqueio de celular pirata será estendido a mais 10 estados

A partir de domingo, 23/9, quem tiver aparelho sem IMEI válido vai começar a receber mensagens de que o celular será bloqueado a partir de dezembro. Ativo em Goiás e no Distrito Federal desde fevereiro, sistema bloqueou cerca de 41 mil aparelhos.

TV paga: pirataria tem mais 'assinantes' que a Netflix no Brasil

Consultoria Business Bureau diz que a OTT possui 18% do mercado de assinatura de streaming de vídeo. A Globo Play fica na segunda posição, mas com apenas 4%. Pirataria no Brasil fica bem acima da média da América Latina.

Justiça mantém Pharol e Nelson Tanure fora da Oi até aporte de capital

Juiz Fernando Viana, da 7ªVara Empresarial do Rio de Janeiro, manteve a suspensão dos direitos políticos dos conselheiros e diretores da Oi ligados aos grupos.



Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G