Home - Convergência Digital

Claro avança no 4G para chegar à TIM e à Vivo

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo* - 03/08/2018

De acordo com dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a tecnologia 4G já representa 50,29% do total de contratos de internet móvel do país, o que corresponde a 118.226.718 clientes, em pouco mais de seis anos. Do ponto de vista de mercado, a Claro, em junho, foi a operadora que mais adicionou acedssos, 1.123 milhão, chegando a 27.291 milhões de chips ativos, ficando atrás da TIM, que conta com 31.313 milhões, ou 26,49%, e da Vivo, que lidera, com 38,843 milhões de linhas ativas, ou 32,86% de market share.

Pela primeira vez, a Anatel falou sobre o 5G. Segundo a agência reguladora, a nova tecnologia está prevista para chegar ao país em 2020. No mês de junho, conforme os dados do órgão regulador, o Brasil registrou um total de 235.076.217 linhas de telefonia móvel no mês de junho de 2018. O serviço vem seguindo tendência de queda e apresentou redução de 7.048.232 linhas nos últimos 12 meses, na comparação com maio, a queda foi de 394.230 linhas.

No Brasil existem mais usuários com linhas pré-pagas do que com linhas pós-pagas, mas se observa a migração de um tipo de serviço para o outro, com a redução das linhas pré-pagas e o aumento das pós-pagas. Em junho de 2018, foram registradas 141.890.809 linhas pré-pagas, diminuição de 18.305.982 linhas em 12 meses. As linhas pós-pagas chegaram a 93.185.408 em junho, registrando um aumento de  11.257.750 linhas em 12 meses.

Tecnologias

As linhas móveis de 4G são as mais utilizadas no país sendo 50,29% (118.226.718 linhas) do total, seguidas das de 3G com 30 % (72.166.311 linhas) e 2G com 11% (27.766.023 linhas). As linhas utilizadas em aplicações máquina-a-máquina (M2M) representam 7 % (16.917.165 linhas) do total. Nos últimos 12 meses, apenas as tecnologias 4G (+46 %) e M2M (+23%) registraram crescimento.

Estados e Distrito Federal

São Paulo continua sendo o estado com o maior número de linhas móveis do país, com mais de 62 milhões de usuários; seguido por Minas Gerais com mais 22 milhões e Rio de Janeiro com mais 20 milhões.

Nos últimos 12 meses, o maior crescimento foi registrado no Amazonas com saldo de 147.424 linhas. Outros estados que apresentaram aumento foram: Espírito Santo com saldo de 45.889 linhas, Roraima 26.624 linhas e Amapá com saldo de 15.195 linhas. Todos os outros estados tiveram redução no número de linhas móveis.

Grupos

Em junho, a Vivo detinha 32% (mais de 75 milhões de clientes) do mercado de linhas móveis, seguida pela Claro, com 25% (com 59 milhões de clientes), Tim com 24 % (56 milhões de clientes) e Oi com 16 % (mais de 38 milhões de clientes).

A Nextel deteve 1,3% (3 milhões de usuários) do mercado; a Algar Telecom,  0,5% (mais de 1 milhão de usuários); a Porto Seguro,  0,2% (653 mil usuários);  Datora, 0,10% (245 mil usuários); Sercomtel,  0,03% (65 mil usuários); e outras empresas detiveram 0,02% do mercado (52 mil usuários).

*Com Assessoria da Anatel


Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

23/10/2018
Operadoras reduzem número de queixas de consumidores na Anatel

18/10/2018
PSB vai ao STF contra tentativa da Anatel de mediar contratos entre teles e OTTs

16/10/2018
Preterido por indicação política na Anatel, Quadros lamenta paralisação das políticas setoriais

16/10/2018
Intervozes quer que Anatel torne pública proposta para o novo PGMU

15/10/2018
Kassab confirma Moisés Queiroz como novo presidente da Anatel

08/10/2018
Eleições 2018: Não houve registro de falha nas redes de telecomunicações

05/10/2018
Anatel empurra para 2019 posição sobre franquia na banda larga

04/10/2018
Anatel ameaça leiloar outorgas da Sercomtel e cobra atitude dos acionistas

03/10/2018
Usuários da MVNO Porto Seguro vão escolher se ficam ou não com a TIM

03/10/2018
Na Anatel, Facebook defende desregulamentação de telecom

Destaques
Destaques

Mercado de IoT projeta movimentar US$ 8 bilhões no Brasil em 2018

Embora conte com políticas públcias específicas e já conte com projetos bem sucedidos, o setor de IoT ainda enfrenta desafios para avançar no Brasil, incluindo formação profissional e o estabelecimento de um ecossistema local.

FCC, dos EUA, impõe ‘Lei das Antenas’ para acelerar redes 5G

Regra aprovada pelo regulador dos Estados Unidos prevê entre 60 e 90 dias como prazo máximo para licenças de instalação de equipamentos, em especial, para as small cells. Lá também há burocracia e o prazo de espera pode chegar a um ano. No Brasil, a situação não é diferente.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site