TELECOM

Sky tem 15 dias para mostrar efeitos da operação Time Warner-AT&T no Brasil

Luís Osvaldo Grossmann ... 14/06/2018 ... Convergência Digital

Com a decisão da Justiça dos Estados Unidos de liberar a compra do grupo Time Warner pela AT&T, a Anatel deu 15 dias para a Sky, que pertente à tele americana por meio da DirecTV, explicar os efeitos no Brasil. Também quer a relação de produtores e programadores ligados à TW.

O negócio foi aprovado pelo Cade em outubro de 2017. Dois meses depois, a Anatel soltou uma cautelar para impedir efeitos por aqui antes da análise. Mas o processo ficou esperando a decisão da Justiça dos EUA, a pedido da própria Sky. Daí a agência ter anunciado o prazo de 15 dias para as informações requeridas.

“A Sky foi oficiada em 10 janeiro de 2018 para que se manifestasse sobre o atendimento da operação em tela em relação aos preceitos dos arts. 5º e 6º da Lei do SeAC, bem como a Ancine para que  encaminhasse a relação contendo a identificação das empresas do Grupo Time Warner que exerçam atividades de produção e programação no Brasil, mencionadas no art. 9º da mencionada Lei, e que se submetam à regulação dessa Agência e dos contratos de aquisição de direitos de exploração de imagens de eventos de interesse nacional e de talentos artísticos nacionais”, informa a Anatel.

Diz ainda a agência que a Sky pediu “dilação de 180 dias do prazo para apresentação de sua resposta, cujo termo final, é o dia 2 de julho de 2018, ou até que a operação fosse julgada nos EUA”. Quando o Cade deu aval ao negócio, aplicou uma série de remédios, entre eles, a exigência de operações separadas da Sky Brasil, que tem cerca de 5 milhões de assinantes no Brasil. A área técnica da agência vai analisar as manifestações da Sky e da Ancine “para apurar se o arranjo societário decorrente contraria a Lei do SeAC e os dispositivos regulatórios afetos à competência da Anatel”.


Internet Móvel 3G 4G
Indústria de Telecom mobiliza força-tarefa para salvar 5G da guerra política

A GSMA, que representa fabricantes e operadoras de telecomunicações, propôs aos governos da Europa a realização de um regime comum de testes de seguranças de rede para evitar a exclusão de fornecedores dos processos. O medo da GSMA é que a disputa entre a Huawei e o governo dos EUA, com respingo na Europa, impacte a construção das novas redes.

Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Teles vão ao STF contra lei que obriga atendimento em 15 minutos

Nova ação direta de inconstitucionalidade argumenta competência federal sobre telecom para questionar a lei aprovada em São Paulo que dispõe sobre o tempo de espera nas lojas das operadoras.

EUA vai banir Huawei e sugere cortar parcerias com quem não imitar

Em visita ao leste europeu, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, diz que o uso de equipamentos de telecomunicações chineses “dificultam parcerias”.

Teles questionam no STF leis sobre cobrança e desbloqueio de celular

Em duas ADIs, empresas reclamam que leis do Rio de Janeiro invadiram a competência federal para tratar de telecomunicações.

Anatel reserva parte da faixa de 1,9 GHz da Claro para conexões via satélite

Ao analisar prorrogação do uso para telefonia fixa, agência reduziu prazo a cinco anos com vistas a mudar a destinação para o serviço móvel global por satélite.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G