Home - Convergência Digital

Governo Temer define que Lei Trabalhista vale para contratos antigos

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo* - 15/05/2018

A nova lei trabalhista é aplicável de "forma geral, abrangente e imediata" a todos os contratos de trabalho regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), inclusive àqueles iniciados antes de sua vigência, em novembro do ano passado. A avaliação foi divulgada nesta terça-feira, 15/05,pelo Ministério do Trabalho por meio de nota à imprensa. Mas os Juízes do Trabalho já se pronunciaram e pensam de forma distinta.

De acordo com o governo, este é o entendimento de um parecer, emitido pela Consultoria Jurídica junto ao Ministério do Trabalho, aprovado pelo titular da pasta, Helton Yomura, e publicado na edição desta terça-feira do "Diário Oficial da União".

O Ministério do Trabalho informou ainda que a aprovação do parecer pelo ministro "gera efeito vinculante para a Administração no âmbito do Ministério do Trabalho, e traz segurança jurídica, sobretudo na atuação fiscalizatória dos servidores desta Pasta, que deverão obrigatoriamente segui-lo".

O governo diz ainda que parecer, elaborado, elaborado pela unidade da Advocacia Geral da União (AGU), conclui que a perda de eficácia, em 23 de abril de 2017, da Medida Provisória 808, "não modifica o fato jurídico de que a Modernização Trabalhista é aplicável a todos os contratos de trabalho regidos pela CLT, inclusive àqueles iniciados antes da vigência da nova Lei, e que continuaram em vigor após 11 de novembro de 2017".

O Supremo Tribunal Federal (STF) discute, nesse momento, a primeira ação que questiona a constitucionalidade da nova lei. Os ministros precisam decidir se o trabalhador considerado pobre e com direito a justiça gratuito seria obrigado a pagar as despesas do processo em caso de derrota, como estabelece a reforma. A votação começou na quinta-feira, 10/05, mas foi interrompida pelo pedido de vista de Luiz Fux e não há data para o julgamento ser retomado.

*Com agência de notícas

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

17/05/2018
Lei Trabalhista: Comissão do TST diz não à posição do Governo Temer

15/05/2018
Governo Temer define que Lei Trabalhista vale para contratos antigos

11/05/2018
Reforma Trabalhista: Ministros não se entendem e ação é suspensa no STF

08/05/2018
Juízes do Trabalho: Reforma trabalhista só vale depois da sua entrada em vigor

24/04/2018
Decreto promete ajustar Reforma Trabalhista após MP perder validade

23/04/2018
MP que altera Reforma Trabalhista perde a validade

13/04/2018
Justiça derruba contratação de terceirizado em lugar de concursado

29/03/2018
Cai MP que ajusta reforma trabalhista

28/03/2018
Flextronics é obrigada pela Justiça a recolher contribuição sindical

23/03/2018
Lei Trabalhista: TST decide que demissão só pode ser homologada no sindicato

Veja mais artigos
Veja mais artigos

eSocial desafia a rotina dos Recursos Humanos

Por Juliana Andrade*

Chegou a hora de as empresas tirarem proveito da robotização, especialmente, na análise de cadastros para observar se há ou não alguma informaçaõ que destoe da atualidade. O regime fiscal online exige a reparação dos dados.

Destaques
Destaques

Juízes do Trabalho: Reforma trabalhista só vale depois da sua entrada em vigor

Decisão foi tomada por mais de 700 juízes e desembargadores. Para eles, a Lei 13.467/2017 só deve valer para processos e contratos iniciados após 11 de novembro de 2017, quando a legislação entrou em vigor.

Lei Trabalhista: TST decide que demissão só pode ser homologada no sindicato

Tema é controverso, mas o ministro Alexandre Agra Belmonte decidiu em setença que "se o empregado tiver mais de um ano de serviço, o pedido de demissão somente terá validade se assistido pelo seu sindicato".

Os 10 cargos em alta na TI para 2018

Conhecimento técnico não é mais o diferencial. Habilidades no relacionamento e de liderança estão pesando muito na hora da contratação.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site