TELECOM

Anatel corrige saldo e diz que teles devem R$ 3,7 bi em obrigações

Luís Osvaldo Grossmann ... 03/05/2018 ... Convergência Digital

A Anatel aprovou nesta quarta-feira, 3/5, por circuito deliberativo, a resposta ao governo sobre qual o tamanho do saldo a ser utilizado no Plano Geral de Metas de Universalização e onde os recursos devem ser investidos. Segundo a agência, correções elevaram para R$ 3,69 bilhões o que as concessionárias “devem” por conta de reduções nas obrigações contratuais.

Uma proposta inicial, apresentada pelo conselheiro Leonardo de Morais e retomada por Emmanuel Campelo na nova votação, acabou descartada. Ela previa o uso desses recursos em obrigações de backhaul em fibra óptica, redes móveis rurais e dutos, ou mesmo que esperasse uma eventual votação do PLC 79/16, que muda as regras do setor. Mas prevaleceu o entendimento de que tais metas não se adequam confortavelmente nas concessões do STFC.

No lugar, a Anatel está indicando ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações que se valha do Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações, em elaboração pela agência, como mapa de onde são necessários novos aportes em redes pelo país. Trata-se de uma análise sobre as redes existentes e consequentemente as lacunas. Seu relator, Aníbal Diniz, promete apresentar a proposta a ser colocada em consulta na próxima reunião do Conselho Diretor.

No voto que acabou acolhido pela maioria, o presidente Juarez Quadros argumenta que “o PERT possui caráter eminentemente estratégico para a agência e busca não somente oferecer um diagnóstico sobre a infraestrutura de telecomunicações no país, como também propor uma relação de projetos capazes de suprir as deficiências identificadas no diagnóstico. Esse planejamento direcionará as ações desta agência nos próximos anos, orientando investimentos no setor de telecomunicações”.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Abranet: Revisão do marco de telecom tem que abrir espaço para voz no SCM

Entidade diz que a revisão do marco legal de telecom exige uma avaliação do mercado de telefonia no Brasil, com ajustes regulatórios capazes de abrir o segmento aos prestadores de SCM, com recursos de numeração e sistemas de áreas de tarifação nos moldes da telefonia celular.

O B2B será a 'aplicação matadora' do começo do 5G

Operadoras assumem os testes e o desenvolvimento de aplicações direcionadas ao mercado coroporativo, mesmo com a visão da ampliação de velocidade da banda larga associada à nova tecnologia móvel. Fibra ótica ganha lugar estratégico na disputa por um lugar no segmento.

Anatel vai licitar posições de satélite, mas muda termos para atender Claro e Hispamar

Proposta de leilão de 15 posições orbitais entrará em consulta pública por 20 dias. Mas como aumentou o prazo das atuais licenças dessas empresas, foi preciso alterar o edital. 

Orquestração de rede 5G é prioridade da Ciena

Fabricante descarta uma produção local no curto prazo, mas se surgirem oportunidades, a avaliação será feita, conta o gerente geral da Ciena no Brasil, Fernando Capella.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G