Home - Convergência Digital

Maratona de desenvolvimento de jogos acontece em quatro cidades brasileiras

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 27/04/2018

Quer colocar a sua criatividade à prova e descobrir como é feito um jogo? Que tal conhecer outros programadores, designers, artistas, sonoplastas, músicos e entusiastas da área em 48 horas de desenvolvimento? Então, não perca a primeira edição da Café Game Jam, uma maratona de desenvolvimento de jogos que acontecerá, entre os dias 4 e 6 de maio, no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, e em mais três cidades brasileiras: Bauru, Ourinhos e Curitiba.

O evento é voltado tanto para profissionais e entusiastas que já atuam na área, quanto para quem nunca desenvolveu um jogo antes. O objetivo é disseminar a criação de jogos no país e incentivar o crescimento e fortalecimento da comunidade nacional de desenvolvedores. Iniciativa do grupo de extensão Fellowship of the Game (FoG), sediado no ICMC, a Café Game Jam tem algumas premissas comuns para todas as cidades que realizarão a iniciativa.

São elas:os participantes devem seguir o tema apresentado na abertura do evento; é preciso produzir um jogo sozinho ou em grupo, que pode ser eletrônico ou analógico (como jogos de tabuleiro ou cartas) até o fim das 48 horas de maratona, no fim da tarde do dia 6 de maio (domingo). Recomenda-se que os participantes levem seus próprios equipamentos para participarem da iniciativa, como notebooks ou mesas digitalizadoras. Para participar, basta fazer a inscrição prévia gratuita por meio deste link: icmc.usp.br/e/159b9.

Em São Carlos, os trabalhos do evento começarão às 18 horas de sexta-feira, 4 de maio, no auditório professor Fernão Stella de Rodrigues Germano (bloco 6 do ICMC). No ICMC, o evento será realizado pelo FoG em parceria com o Laboratório de Objetos de Aprendizagem (LOA) e o ONOVOLAB. O grupo LTIA, da UNESP Bauru, o Centro Acadêmico de Jogos e Entretenimento Digital (CAJEDI), da PUC Curitiba, e a Fatec de Ourinhos são os responsáveis pela realização do evento nas demais sedes.

"Participar de uma Game Jam é uma experiência quase obrigatória para todos que desejam desenvolver jogos", conta Leonardo Pereira, membro do FoG, organizador geral do evento e pós-graduando no ICMC. "Você trabalha com pessoas de diferentes áreas para criar, em tão pouco tempo, algo especial. É um fim de semana cansativo, regado a café, mas recompensador e enriquecedor", finaliza.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

30/01/2019
Empresa americana, dona do Bolsomito 2k18, comunica à Justiça o fim da venda do game

29/01/2019
Gammer: Uma profissão cada vez mais em alta no Brasil

26/10/2018
MPF quer retirada do ar de jogo em que Bolsonaro espanca direitos humanos

11/10/2018
MP do Distrito Federal exige retirada do mercado de game pró-Bolsonaro

10/09/2018
Cultura promete R$ 100 milhões e política de incentivo a jogos eletrônicos

28/08/2018
Procura por estágio em jogos eletrônicos cresce 13% no Brasil

14/08/2018
Olimpíada digital de matemática quer a participação de 100 mil brasileiros

27/04/2018
Maratona de desenvolvimento de jogos acontece em quatro cidades brasileiras

11/10/2017
Vivo cria plataforma para ser a operadora dos gamers no Brasil

13/07/2017
Ancine prorroga prazo para inscrições nos editais de jogos eletrônicos

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

Falta de mão de obra qualificada espanta investidores no Brasil

Mais de 50% dos jovens brasileiros podem ficar fora do mercado de trabalho por falta de qualificação e de habilidades digitais. A advertência foi feita por especialistas que debateram sobre educação e capacitação digital no Painel Telebrasil 2019.

Assespro é contra a regulamentação da profissão de TICs

Entidade das empresas de TI se posiciona contrária ao PLS 317/17. que passa a exigir diploma de profissões como Analista de Sistemas, desenvolvedor, engenheiro de sistemas, analistas de redes, administrador de banco de ados, suporte e profissões correlatas.

Mais de meio milhão de brasileiros trabalham com TICs

Raio-X do mercado de trabalho nos últimos 10 anos, feito pela Softex, mostra que o salário médio de R$ 6 mil.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site