Home - Convergência Digital

Pegou na mentira? Dançou a vaga de emprego...

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 09/04/2018

As entrevistas de emprego tendem a deixar os candidatos nervosos. Exigências, análises, uma série de perguntas e um ambiente repleto de formalidades que aumenta a tensão e pode incentivar o profissional a cometer alguns deslizes, como contar mentiras. De acordo com a Pesquisa dos Profissionais Brasileiros realizada pela Catho, 92,2% dos recrutadores afirmaram que já flagraram mentiras de candidatos em etapas

do processo seletivo. Um inglês avançado aqui, o domínio do Excel ali são algumas das mais conhecidas, segundo a psicóloga e assessora de carreira Elen Souza, da Catho. Ela listou as cinco mentiras mais comuns contadas por candidatos. Confira, abaixo:

1. Mentir sobre experiências profissionais

Muitos profissionais, quando inseguros, costumam aumentar a descrição e/ou explicação sobre suas atividades.
Por que não fazer: É muito fácil do recrutador descobrir essas informações, seja pelas redes sociais ou buscando referências do profissional ligando na empresa.

Dica: Segundo Souza, o melhor a se fazer é resumir em seu CV as atividades desenvolvidas em suas experiências, o que ajuda o recrutador a entender o seu perfil e competências, não havendo a necessidade de "inflar" suas experiências.

2. Formação

Muitos profissionais colocam no currículo cursos de especialização que não fizeram ou aumentam a carga horária de cursos pequenos - como se fossem de longa duração.
Por que não fazer: É possível verificar junto ao MEC se a informação é verdadeira ou ainda, pedir a apresentação de um certificado para confirmação.

Dica: Ao invés de mentir, diga que ainda não conseguiu investir em determinado curso, mas que tem interesse em fazer caso surja uma oportunidade.

3. Habilidades técnicas

Muitos candidatos acreditam que quantidade é o que importa e, por isso, acabam aumentando seu nível de conhecimento e até mesmo, mentindo sobre suas habilidades.
Por que não fazer: O recrutador pode submetê-lo a um teste prático e pedir que você execute a tarefa.

Dica: Em seu currículo, dê relevância para as habilidades técnicas que você mais domina.

4. Idioma

Muitos profissionais colocam em seus CVs que têm um segundo idioma fluente e avançado, mas quando chega a hora da entrevista fica claro que isso não é verdade.
Por que não fazer: O entrevistador pode pedir que o candidato responda no idioma que disse dominar - podendo gerar uma situação constrangedora.

Dica: Deixe claro seu nível de fluência e, caso não seja fluente/avançado, mostre que está disposto a melhorá-lo.

5. Resultados

Alguns profissionais falam de resultados que não obtiveram, que não são reais ou que foram atingidos por outra pessoa da equipe.Por que não fazer: O selecio nador pode pedir mais detalhes de como o resultado foi alcançado e, se você não for o executor, será muito difícil de explicar.

Dica: Antes da entrevista, avalie os resultados obtidos em sua carreira e, mesmo se forem pequenos, vale a pena contar suas contribuições.

Fonte: portal Info Money

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

18/09/2018
Fintechs são o objeto de desejo de emprego no Brasil

17/09/2018
Falar de política? Cuidado! Isso pode comprometer seu emprego

12/09/2018
Economia digital: Ministério do Trabalho faz consulta sobre o futuro dos empregos

11/09/2018
Multinacional de TI abre 60 vagas para Programa de Estágio 2019

10/09/2018
Empregos em TI dobram em 10 anos e passam de 500 mil no Brasil

04/09/2018
Procuram-se profissionais de TI

03/09/2018
Google e Ericsson abrem vagas para estágio e trainee

31/08/2018
Empresa de software abre 47 vagas

27/08/2018
Empresa de TI abre 300 vagas de emprego em várias regiões do Brasil

27/08/2018
Transformação digital: emprego pode gerar salário de até R$ 18 mil

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como a expatriação fortalece empresa e funcionários?

Por MarcosSantos*

O processo, que consiste em enviar profissionais para trabalhar na unidade da mesma empresa em outro país, promove uma troca de conhecimento entre a equipe da unidade estrangeira e novo colaborador, uma experiência enriquecedora de ampliação de  expertises e de uma nova atmosfera de trabalho.

Destaques
Destaques

Empregos em TI dobram em 10 anos e passam de 500 mil no Brasil

O Panorama do Setor de TICs 2018, elaborado pela Assespro Nacional, em parceria com a Assespro Paraná e a Universidade Federal do Paraná avaliou o período de 2006 a 2016. São Paulo lidera com 43% dos empregos, bem à frente dos demais Estados.

Decisão do STF a favor da terceirização não respalda a pejotização

Advogados procurados pelo portal Convergência Digital sustentam que a dispensa de empregados para a contratação como terceirizados pode caracterizar a subordinação e punição à corporação

'Jogo de cintura' não é balela. É sobrevivência

Mas toda flexibilidade exige limite. Um profissional precisa ter uma meta, um plano de carreira bem claro. A inflexibilidade também tem um custo para o profissional que se recusa a ver os novos tempos.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site