TELECOM

Preterida pelas teles, faixa de 450 MHz está na mira do setor elétrico

Luís Osvaldo Grossmann ... 29/03/2018 ... Convergência Digital

Empresas do setor elétrico estão de olho na faixa de 450 MHz, usada a contragosto pelas operadoras móveis, e discutem com a Anatel como costurar a destinação dessa e outras fatias do espectro em caráter primário para as ‘utilities’.

“Fizemos uma pesquisa com as empresas e com fornecedores, para saber quais as aplicações elas utilizam e em quais frequências. É grande o interesse nos 450 MHz e outras faixas, com 2,5 GHz e 3,4 GHz”, explica o vice-presidente da UTC AL, Ronaldo Santarem, em entrevista ao portal Convergência Digital.

A entidade (Utilities Telecom & Technology Council América Latina) reúne grandes grupos e geração, transmissão e distribuição de energia no país. O segmento usa várias faixas, mas admite que isso gera um uso menos eficiente do espectro. Daí o interesse em concentrar nas faixas mencionadas.

O destino da faixa de 450 MHz está em debate no Conselho Diretor da Anatel. A faixa foi vendida para as operadoras móveis em 2014, mas elas alegam dificuldades, especialmente falta de equipamentos, para usar a frequência como pretendiam, para atendimentos nas áreas rurais. Hoje, preferem usar satélite. As elétricas, por outro lado, dizem ter encontrado meia dúzia de fornecedores.

A ideia, assim, é conquistar nacos nesses espectro. Em 450 MHz, fatias de 2+2 MHz ajudariam a compor o quadro (as teles têm 7+7 MHz). “As utilities imaginam que com 10 MHz operam muito bem suas redes num horizonte razoável de 10 a 15 anos. O relatório dos fornecedores mostrou que eles têm equipamentos em todas essas faixas, inclusive nos 450 MHz”.

O relatório conta que foram procuradas 24 empresas e seis responderam favoravelmente: “100% das empresas participantes possuem soluções para automação de rede de distribuição e 80% responderam que possuem soluções para SCADA, voz e dados operativos, medição remota e videomonitoramento”.

Para a Anatel, o tema é importante porque são empresas de infraestrutura crítica. A agência já recebeu os relatórios em dezembro e na próxima semana, durante o UTC Summit AL 2018, no Rio de Janeiro, volta a sentar com as elétricas para discutir possíveis caminhos para os pleitos de frequências em caráter primário para o setor.


Internet Móvel 3G 4G
TIM quer compartilhar frequência com Claro e Vivo

Operadora quer levar para essas operadoras o acerto firmado com a Oi. Em infraestrutura, TIM prepara 4G em 700 MHz em São Paulo e já instalou 600 ERBs, revelou o CTO da tele, Leonardo Capdeville.

Anatel: LGT completa 21 anos carente de ações políticas atentas ao futuro

Em carta oficial, a agência reguladora sustenta que é preciso festejar o passado, mas adverte: não dá mais para manter o modelo separando telefonia fixa dos demais serviços de telecomunicações. O acesso ao telefone, essencial no passado, requer, agora, o acesso à banda larga.

Anatel aprova novo regulamento para preço público de radiofrequências

Principal novidade é a possibilidade de a agência exigir compromissos de investimento como parte do valor da renovação do direito de uso do espectro.

Anatel aprova regra para mediar e exigir contratos entre teles e OTTs

Novo regulamento de interconexão também exige ofertas de pontos de conexão em todos os Códigos Nacionais e facilita cortes em casos de inadimplência.

Segurança faz Anatel antecipar bloqueio de celulares no Rio de Janeiro

Os aparelhos irregulares vão ser bloqueados a partir de 08 de dezembro, a pedido do Gabinete de Intervenção Federal no Estado. O bloqueio está implementado no Distrito Federal e no Estado de Goiás.

Disputa entre fornecedores faz Cemig Telecom adiar leilão para o dia 8 de agosto

Preço mínimo para o lote 1, que envolve a rede de banda larga nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro foi estipulado em R$ 332 milhões.  Já manifestaram interesse público, a TIM e a Claro.

TV paga: Modelo não muda e sangria de assinantes já dura três anos e meio

Depois de um período de expansão, em 2014, com a entrada das teles no segmento, o setor encerrou o mês de maio com 17,8 milhões de assinantes, o que significa a perda de 10% da base de usuários. Claro/NET concentram 50% do mercado.


Veja a revista do 61º Painel Telebrasil 2017
Revista do 61º Painel Telebrasil 2017
A edição de 2017 do Painel Telebrasil enfatizou a necessidade de atualização do modelo de telecomunicações e a definição de uma agenda digital para o País.

Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G