INTERNET

Senador quer cadeia para ‘fake news’, mas só as divulgadas na Internet

Luís Osvaldo Grossmann* ... 01/02/2018 ... Convergência Digital

O Congresso Nacional já tem um projeto de lei que criminaliza a divulgação de notícias falsas, ou fake news, como virou moda tratar o assunto. Mas o PLS 473/17, apresentado no fim do ano passado, parece entender que o problema é com a internet. 

Pela proposta do senador Ciro Nogueira (PP-PI), divulgar notícia falsa deve provocar reclusão de um a três anos quando elas forem publicadas na rede mundial de computadores. Portanto, cadeia na certa. 

Outros meios, como televisão, rádio ou jornais impressos, não mereceram maior atenção do parlamentar. Nesses casos, incluídos como divulgação genérica das fake news, a pena prevista é bem menor, detenção (leia-se, regime aberto) de seis meses a dois anos. 

Em defesa do projeto, que aguarda designação de relator na Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal, o senador sustenta que “a criação do novo tipo penal contribuirá para reprimir e prevenir a divulgação das fake news”. 

TSE

Enquanto isso, o Tribunal Superior Eleitoral fez mais uma reunião para tentar estabelecer regras sobre a coibição das notícias falsas durante as eleições deste ano. E chamou Google, Twitter e Facebook (também dono do Whatsapp) para conversar. 

As empresas de internet indicaram o que andam fazendo pelo mundo para coibir as fake news, mas não ficou claro como isso vai funcionar no pleito brasileiro. Regras já baixadas pelo TSE permitem o que elas chamam de ‘impulsionamento de conteúdo’, ou seja, uma forma paga de turbinar a divulgação. Mas o Tribunal ainda deve esclarecer, por exemplo, as formas de pagamento e identificação.

O grupo que discute o tema na Justiça Eleitoral inclui representantes dos ministérios da Justiça, Ciência & Tecnologia, Exército, Polícia Federal, Ministério Público, CGI.br, FGV e Safernet. Deve ser realizada ainda mais uma reunião, no fim de fevereiro, antes do prazo (5/3) final para regras que possam vigorar em outubro. 

“A preocupação realmente é não afetar a liberdade de expressão e a liberdade de informação. Esse é um novo desafio: ninguém tem respostas prontas e ninguém quer assegurar a censura como método. Mas é preciso discutir o tema e encontrar meios e modos de lidar”, sustentou o presidente do TSE, Gilmar Mendes.

* Com informações do TSE


Fim da neutralidade de rede nos EUA está marcado para o dia 11 de junho

Presidente da FCC, Ajit Pai, está confiante na efetivação da medida, apesar de um movimento no Senado do país para derrubar as mudanças regulatórias aprovadas em dezembro de 2017.

BNDES terá piloto, em junho, para liberar entre R$ 1 milhão e R$ 10 milhões aos ISPs

Programa, batizado de BNDES 10, será lançado até o começo de junho e terá como diferencial a liberação dos recursos em um prazo de até 10 dias. Iniciativa também dispensa a apresentação de garantias por parte dos provedores Internet.

NIC.br lança cartilha com vacinas contra “fake news”

Como lembra o fascículo elaborado pelo Cert.br, boatos existem há tempos, mas ganham na internet terreno fértil para se propagar. Bom senso, atenção e confirmação fazem diferença.

Europa terá cota de conteúdo local para Netflix e empresas online

Nova legislação estenderá regras da televisão para serviços de vídeo na internet e inclui exigência de 30% de conteúdo europeu nas plataformas ‘on demand', além de contribuição para fundo do audiovisual.

Projeto prevê Direito ao Esquecimento de pessoas públicas no Marco Civil

Projeto não tenta impedir a divulgação de fatos sobre ocupantes de cargos públicos, mas abre um debate sobre o esquecimento de fatos, ainda que verídicos, de pessoas públicas que podem um dia vir a ocupar cargos por meio de eleições.

Revista Abranet 24 . maio-junho-julho 2018
Veja a Revista Abranet nº 23 A Convenção Abranet 2018 reuniu, na Bahia, cerca de cem empresas de internet. As discussões foram além do dia a dia e abordaram aspectos como planejamento, inovação e estratégia.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G