Home - Convergência Digital

Mulheres rejeitam o rótulo 'hacker' e se distanciam da cibersegurança

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 30/01/2018

Um novo estudo realizado pela Kaspersky Lab revela que, antes dos 16 anos de idade , a maioria das jovens do sexo feminino dos EUA, Europa e Israel já decidiu não seguir uma carreira na área de cibersegurança. Essa tendência é um fator importante que afeta a constante dificuldade do setor de atrair mulheres a fim de tentar reduzir a diferença de gênero na área de segurança de TI e lidar com a crescente falta de qualificações.

O Global Information Security Workforce Study, realizado pela (ISC)² e seu Centro de Educação e Segurança cibernética, mostrou que, hoje, elas representam apenas 11% da força de trabalho em cibersegurança. Para começar a incentivar mais mulheres a ocupar posições nesse segmento, a Kaspersky Lab reforça a necessidade de renovar a imagem da cibersegurança entre as jovens.

O estudo descobriu que a terminologia das funções deste setor – como 'hacker' – tem conotação negativa e dificilmente atrairia jovens do sexo feminino, sendo que dois terços delas declaram querer seguir uma carreira que desperte sua paixão. Além disso, um terço das jovens acha que os profissionais de cibersegurança são 'geeks', e um quarto os considera 'nerds'. Talvez isso contribua para que 78% das meninas nunca pensem na possibilidade de uma carreira nessa área.

"De acordo com a pesquisa, as jovens mulheres não enxergam a cibersegurança como uma opção de carreira viável ou atraente para elas e, por isso, excluem muito cedo as profissões do setor de TI. Assim, é muito difícil convencê-las do contrário", disse Todd Helmbrecht, vice-presidente sênior de marketing, da Kaspersky Lab para a América do Norte.

"O prévio conhecimento sobre a área é essencial para quebrar certas barreiras, mas é também preciso mudar a imagem do setor como um todo e promover as carreiras envolvidas. Uma parte importante desse processo é dar visibilidade às funções e torná-las atraentes, além de desmitificar o estereótipo dos 'geeks' da segurança de TI sentados em um quarto escuro invadindo computadores", completa.

Somado a isso, 42% de todos os participantes concordam que é importante ter um modelo do próprio gênero em suas carreiras, e metade das mulheres prefere trabalhar em um ambiente com uma distribuição igualitária entre homens e mulheres.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

20/02/2019
Crimes na Web: Formjacking vira pesadelo para empresas e muito lucrativo para hackers

15/02/2019
Crimes cibernéticos: crimes de ódio aumentaram quase 30%, mas pornografia ainda lidera no Brasil

14/02/2019
Golpe oferece US$ 1,5 milhão por perfil vencedor do Facebook

04/02/2019
Novo mega vazemento de dados expõe 2,2 bilhões de senhas e logins

29/01/2019
Hackers vazaram mais de 3,4 milhões de contas de serviços de streaming de música, vídeo e games

23/01/2019
Cibercriminosos usam chatbots para extorquir dados e sequestrar chips

09/01/2019
Linux é o mais atacado por malware, mas infecções no Windows disparam

13/12/2018
Mais de 120 milhões de CPF de brasileiros vazaram de servidor mal configurado

12/12/2018
Sicredi nega vazamento, mas admite 'exposição' de dados de associados

11/12/2018
TIVIT admite vazamento, mas diz que não houve acesso a dados críticos da operação

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

Mais de 60% dos brasileiros estão infelizes, mas têm medo de mudar de emprego

Estudo da Brands2Life, com o LinkedIn, traz um dado assustador: 80% dos brasileiros não se candidata para a vaga de trabalho que gostaria. Cerca de um terço dos profissionais deixa de se candidatar a uma nova vaga por falta de confiança na sua própria capacidade.

Serviços de TI e de Telecom podem ser 100% terceirizados no Governo Federal

Também foi incluída na lista divulgada pelo governo Federal o serviço de teleatendimento. Decisão está publicada na portaria 443/2018.

TRT/São Paulo homologa dissídio coletivo de TI de 2018

Tribunal concedeu estabilidade para a categoria pelo período de 30 dias. O Convergência Digital disponibiliza a íntegra do acórdão entre patrões e empregados, homologado pela Justiça. Reajuste salarial acorcado foi de 2,07%.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site