Home - Convergência Digital

FCC rebate Trump e diz que nacionalizar 5G é contraprodutivo

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann - 30/01/2018

Se o governo de Donald Trump planeja realmente estatizar a rede 5G do país, faltou combinar com a agência americana de telecomunicações, a FCC. Em nota, Ajit Pai, que virou presidente da FCC por indicação de Trump, rechaçou a ideia, vazada no final de semana pelo site de notícias Axios a partir de documentos do conselho de segurança nacional dos Estados Unidos. 

“Eu me oponho a qualquer proposta do governo federal de construir e operar uma rede nacional 5G (...). O que o governo pode e deve fazer é destinar espectro para o mercado e definir regras que encorajem o setor privado a desenvolver e implantar infraestrutura da próxima geração. Qualquer esforço federal de construir uma rede 5G nacionalizada seria uma distração custosa e contraproducente das políticas que precisamos para ajudar os Estados Unidos a vencer o futuro do 5G”, disparou Pai. Não foi o único. Os demais quatro conselheiros da FCC igualmente criticaram a proposta. 

Por mais improvável que seja o plano, ele foi reconhecido como verdadeiro ainda na véspera, quando a secretaria de imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, admitiu que “várias coisas estão à mesa”, e que “discutimos a necessidade de uma rede segura”. Conforme o powerpoint divulgado pela Axios, o governo dos EUA teme a espionagem da China e o acesso a chamadas dos americanos. A ironia é que os EUA fazem exatamente isso com o resto do mundo, graças a equipamentos de rede de manufatura americana. 

Em outra frente, no entanto, o governo dos EUA segue firme na política de evitar que as operadoras do país façam negócios com empresas chinesas. Depois da AT&T, que em janeiro se viu forçada a desistir da oferta de aparelhos da Huawei para seus clientes, agora foi a Verizon quem admitiu o mesmo: a empresa acaba de desistir de oferecer o novo Mate 10 Pro da fabricante chinesa, conforme revelado pela Bloomberg. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

20/02/2019
TIM quer leilão 5G o quanto antes e rede legada única para o 2G

20/02/2019
‘Horário nobre’ derruba velocidade da internet móvel pela metade no Brasil

19/02/2019
5G vai responder por 4,8% do tráfego móvel em 2022

15/02/2019
Indústria de Telecom mobiliza força-tarefa para salvar 5G da guerra política

13/02/2019
Huawei reage e sugere abertura de códigos-fonte para todos os fabricantes 5G

11/02/2019
5G Americas pede pressa para licenciamento das faixas entre 3,7 e 4,2 GHz

29/01/2019
Governo dos EUA acirra clima com China por conta da Huawei

24/01/2019
Era 5G exige responsabilidade e ética digital

23/01/2019
Para acelarar o 5G, Telefónica e Vodafone compartilham infra no Reino Unido

22/01/2019
5G vai quintuplicar o tráfego de dados e terá papel decisivo na economia mundial

Destaques
Destaques

IDC: Empresas brasileiras fazem mais do que falam sobre Internet das Coisas

A indefinição regulatória pesa, assim como a tributária, mas muitas corporações estão colocando os seus projetos na rua, diz Pietro Delai, gerente de consultoria e pesquisa da consultoria. No Brasil, negócios de IoT devem movimentar US$ 9 bilhões em 2019, ou R$ 30 bilhões.

Projeto de inovação usa 4G em 450 Mhz para Internet das Coisas

Seis startups foram selecionadas para iniciativa Agro IoT Lab 2018, voltada para a transformação digital do agronegócio, da Vivo, Raízen e Ericsson.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site