GOVERNO » Legislação

CCT critica presidente do Senado por engavetar projeto de revisão da Lei de Telecom

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/12/2017 ... Convergência Digital

A apresentação, nesta terça, 12/12, de um relatório de avaliação sobre a política pública de conectividade a internet terminou por se transformar em uma defesa explícita do projeto de lei 79/16, já aprovado na Câmara, mas que travou no Senado Federal. O presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia, Otto Alencar (PSD-BA), aproveitou para criticar o presidente do Senado, Eunício Oliveira, por ‘engavetar’ a proposta. 

“O atual presidente do Senado, Eunicio Oliveira, não teve interesse em mandar o projeto para a CCT, onde já teríamos aprovado e iria para o Senado para a discussão, para ver quem se coloca contra e quem se coloca a favor. E enquanto isso, a Anatel segue multando as empresas pela manutenção dos orelhões”, disparou Alencar. 

A deixa veio do relatório de Jorge Viana (PT-AC) sobre as políticas de inclusão digital, que em grande medida se fixou em projetos de lei que, no seu entender, já deveriam ter sido aprovados, como o PLS 427/14, que permite o uso do Fust em redes de banda larga, ou o PLS 330/13, sobre proteção de dados pessoais. 

O grande destaque do relatório do senador, no entanto, foi mesmo o PLC 79/16, que muda a Lei Geral de Telecomunicações e abre caminho para o fim das concessões de telefonia, permitindo a prestação de todos os serviços em regime privado. Já aprovado na Câmara, a proposta estacionou na Presidência do Senado, apesar de decisão do Supremo Tribunal Federal que obriga a volta da tramitação da proposta. 

“Consideramos inadmissível ainda não termos discutido com a devida atenção e deliberado o PLC 79/16. Não tem justificativa não termos ainda o novo marco das telecomunicações no Brasil. O Senado está terminando o ano sem apreciar o projeto, o que é uma ação que beira o crime. É chegado o momento da concertação. Precisamos superar as divergências e deliberar sobre o PLC 79/16, aprovando o que merece ser aprovado, e suprimindo o que eventualmente não for adequado”, defendeu Viana. 


Diretor da Dataprev que propôs demitir mil funcionários pede exoneração

Desafeto político do presidente da estatal, Leandro Magalhães, Júlio César de Araújo Nogueira foi imposto para a diretoria da empresa pelo ex-ministro do Planejamento, Dyogo Henrique de Oliveira, que, agora, segue para a presidência do BNDES.

Câmara aprova urgência para votar a reoneração da folha de pagamento

Empresas de TI e de Call center podem ter de voltar a contribuir com alíquota de 20% , após 90 dias da publicação da nova legislação.

Decreto cria estrutura multissetorial para cuidar da transformação digital

A tradicional SEPIN, secretaria de Políticas de Informática, deixa de existir e se transforma na SEPOD, secretaria de políticas digitais, com Thiago Camargo Lopes à frente. Como política de Estado,  cobrança de resultados acontecerá em diversas pastas.

Estratégia Digital reúne antigas demandas e programas repaginados

Escolas conectadas, incentivos a isenções de ICMS, uso do Fust, apoio a startups, estímulo a exportações e até um novo Proinfo fazem parte das ações estratégicas que estimulem a economia digital no Brasil.

Jarbas Valente assume Telebras. Maximiliano Martinhão volta ao MCTIC

Seis meses e meio depois de assumir a presidência da Telebras, Martinhão, que estava antes à frente da SEPIN, retorna ao Ministério. Ele vai cuidar da Secretaria de Inovação.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G