Celulares piratas: Teles dizem que bloqueio estimula mercado de segunda mão

Luís Osvaldo Grossmann ... 05/12/2017 ... Convergência Digital

As operadoras de telecomunicações desconfiam que o sistema de bloqueio de celulares irregulares, ou ‘piratas’, terá um sucesso enganoso, na melhor das hipóteses, e ainda vai estimular um mercado paralelo de aparelhos de segunda mão. É que o sistema como colocado para funcionar não conseguirá impedir a clonagem dos números de identificação dos celulares. 

“A rede hoje identifica esses aparelhos através do IMEI. Se ela enxerga o IMEI da base da GSMA, diz que não é ‘xing-ling’. Só que clonar IMEI é uma atividade relativamente simples. Nós mesmos fizemos a experiência de comprar aparelhos na ‘Feira do Paraguai’. Nenhum deles é certificado pela Anatel. Mas todos têm nota fiscal. E todos têm IMEI”, afirmou o presidente-executivo do Sinditelebrasil, Eduardo Levy, em encontro com a Imprensa, em Brasília para um balanço de 2017.

Ele afirma que o setor é favorável a eliminação de aparelhos clandestinos. Mas a dúvida é o funcionamento do sistema de bloqueio na prática. Pelo raciocínio, enquanto houver facilidade para a clonagem dos IMEIs (o número internacional que em tese identifica cada aparelho como único), o resultado provável é que o sistema considere que todos os aparelhos em uso no país são legais porque todos terão esse código internacional, que é administrado pela Associação GSM. 

“Entendo o lado da indústria, que não quer aparelhos clandestinos no mercado. Só que esta vacina que está sendo dada pode trazer uma consequência danosa. Esta medida pode estimular o mercado de segunda mão. Além disso, o sistema não como saber qual é o aparelho legal. Se tiver quatro telefones com o mesmo IMEI e eu tiver que bloquear os quatro, vou estar tirando o serviço de alguém que comprou legitimamente. E com que direito?”, insiste o presidente do Sinditelebrasil. 

No fim de novembro, a Anatel aprovou um cronograma para a entrada em funcionamento do que chama SIGA, para Sistema Integrado de Gestão de Aparelhos. Ele começa em maio de 2018 por Brasília, Goiânia e regiões (DDDs 61 e 62), com previsão de chegar gradativamente a todo o país até março de 2019. A ideia é que aparelhos sem IMEI recebam um aviso de irregularidade e, em seguida, sejam bloqueados. 

“Conseguimos convencer a Anatel a fazer essa experiência porque acredito que não vamos encontrar aparelhos fraudulentos. Por conta da clonagem, todos vão ter IMEI. Só que não se pode, como consequência disso, achar que acabou o ‘xing-ling’ no Brasil. Então ficamos relativamente satisfeitos em convencer a Anatel a fazer um processo parcelado. E não é um processo que começa para concluir. Começa para avaliar.”


Internet Móvel 3G 4G
Para TIM, migração para banda Ku vai atrasar ainda mais 5G

Presidente da operadora, Pietro Labriola, diz que opção pelos filtros nas parabólicas é saída mais pragmática. “Não podemos leiloar uma frequência que ficará ociosa”, afirma.

SindiTelebrasil muda marca para Conexis. Rodrigo Abreu, da Oi, assume comando

Abreu substitui o presidente da Algar Telecom, Luiz Alexandre Garcia, que ficou à frente da entidade nos últimos cinco anos. Prioridades de Abreu são o leilão 5G e fazer valer a Lei das Antenas no dia a dia real das teles.

Relator no Senado propõe desoneração de IoT e VSats sem mudar texto da Câmara

Relator do PL 6549/19 na CCT, senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO) sustenta que isenção de Fistel, Condecine e CFRP vai, na prática, aumentar a arrecadação . “Ganho líquido na arrecadação será de R$ 2,9 bilhões”, afirma. 

Empate suspende decisão do STF sobre desbloqueio de celular em 24 horas

Operadoras questionam no Supremo uma lei do Rio de Janeiro que determina o desbloqueio da linha 24 horas após quitação de dívida. Placar está em 5 a 5. 

Para Oi, assinatura básica teria que ser acima de R$ 100 para pagar concessão

Presidente da Oi, Rodrigo Abreu, diz que a pandemia foi ruim para o setor e que a busca pelo equilíbrio é fundamental. “O ‘break even’ seria mais caro que um pacote básico de banda larga."

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G